Aljezur apresenta uma exposição e performance baseadas nas memórias da sua comunidade

As pessoas e as tradições de Aljezur são os protagonistas do novo projeto dinamizado pela Tertúlia – Associação Sócio-Cultural, a convite do programa municipal Entrelaçar, que está integrado na Agenda Sénior, e que vai rodar pelas quatro freguesias do município a partir de hoje, dia 10, até 5 de setembro.

Através de um longo processo, que remonta aos tempos da pandemia, de recolha de testemunhos e objetos junto da comunidade sénior, “Acordar Memórias” pretende revelar o património imaterial e material da região de Aljezur a partir de um projeto artístico. Orientados por uma equipa de cenógrafos, coreógrafos, músicos e artistas plásticos, os integrantes do Programa Entrelaçar ficaram encarregues de delinear o conteúdo do projeto, fornecendo elementos “que fossem representativos de atividades locais e que fizessem parte do acervo de memória” da comunidade, explica ao JORNAL DE MONCHIQUE Conceição Gonçalves, diretora artística do projeto.

O resultado que daí surgiu foi uma combinação entre uma instalação itinerante, composta por uma estrutura de ferro com um diâmetro de sete metros, onde se veem figuras de dois metros dispostas em roda como se se tratasse de um baile e com um “ambiente muito poético” lá dentro, descreve a diretora artística. Além da instalação, também haverá uma performance que dará mais força a este “espaço de encontro entre passado e presente, onde objetos ganham vida, tornando-se proclamadores dos tempos idos, testemunhas de memórias esquecidas que clamam por serem reavivadas”, como a organização escreve na sinopse.

Apesar de não ser tarefa fácil desmontar e voltar a montar a instalação, a Tertúlia faz questão de exibir este “espetáculo imersivo” feito de “memórias que dançam na teia da existência” em todas as quatro freguesias de Aljezur. “Para já, estas pessoas [do programa Entrelaçar] vêm destas diferentes freguesias, portanto faz todo o sentido que a exposição, apesar do trabalho, esteja nas quatro freguesias. E há ainda outra questão que se prende com a mobilidade e o acesso à cultura e à fruição artística”, justifica Conceição Gonçalves, notando que muitos acabam por não usufruir da oferta cultural por força da idade ou falta de transporte próprio.

“Ao deslocar este trabalho, é uma forma de se honrar cada cantinho que pertence a este território, mas também de levar a cultura de um objeto artístico que, ainda por cima, não é exterior a eles, não é uma criação da cidade para o campo, mas sim uma coisa criada juntamente com as pessoas”, reforça.

Entre os dias 10 e 13 de agosto, a exposição poderá ser visitada em Odeceixe, depois passará para o Rogil, de 17 a 20, seguindo-se Aljezur, entre 24 e 29, e, por fim, será encaminhada para a Bordeira, de 2 a 5 de setembro. O horário da instalação é das 10h às 20h e as performances realizam-se sempre às 19h, nos dias de inauguração em cada freguesia. A única exceção será Aljezur, onde a performance decorrerá duas vezes, no primeiro e último dias, uma vez que se celebra o dia do município nessa altura.

A partir desta rotatividade e da aposta numa “arte mais participativa”, a associação sem fins lucrativos continua a cumprir o compromisso de estar ligada ao território e ao património de Aljezur, bem como de “ligar novos com velhos”, que tem vindo a privilegiar há 20 anos através de diferentes iniciativas. Sejam elas a edição de livros ou a realização de eventos variados, como a Feira do Livro, a Festa das Plantas (que teve a sua primeira edição este ano), encontros que promovam a leitura ou ainda oficinas ligadas à experimentação artística (que neste ano têm decorrido na forma de residências artísticas).

“Acordar Memórias” conta com o apoio financeiro da Direção-Geral das Artes, no âmbito do Programa de Apoio Arte e Envelhecimento Ativo, que atribui 30 mil euros e resulta de um acordo de parceria celebrado entre a Direção-Geral das Artes e a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML). Também tem a parceria da Associação de Municípios Terras do Infante e do Município de Aljezur, bem como da Câmara Municipal de Aljezur e Juntas de Freguesia do Rogil, Odeceixe, Bordeira e Aljezur, juntamente com o G.D.O – Grupo Desportivo Odeceixense e do Clube Instrução e Recreio Rogilense.

Share Button