Projeto CILIFO une Algarve, Alentejo e Andaluzia no combate a incêndios florestais – Centro de Meios Aéreos de Monchique é uma das infraestruturas e já começou a ser construído

O Algarve, o Alentejo e a Andaluzia juntaram-se para concretizar um objetivo alargado de melhorar a capacidade de resposta dos municípios e das autoridades com competências na Proteção Civil no combate aos incêndios florestais, desenvolvendo o projeto CILIFO (Centro Ibérico de Investigação e Combate aos Incêndios Florestais, que está enquadrado no Programa de Cooperação Transfronteiriça Interreg V-A Espanha-Portugal-Interreg POCTEP.

Monchique é um dos integrantes através da construção do Centro de Meios Aéreos, no Semedeiro, que está em início de execução, após visto do Tribunal de Contas recebido em agosto passado. Para Paulo Alves, presidente da Câmara Municipal de Monchique, “é uma infraestrutura de enorme importância visto que permitirá regularizar uma situação considerada como provisória, e será capaz de assegurar a permanência de aeronave de combate a incêndios rurais durante as épocas críticas, com todas as condições para as tripulações. A nível regional, complementará o dispositivo existente, nomeadamente a cobertura desta zona de serra do Barlavento Algarvio e Baixo Alentejo e reforçará o dispositivo, nomeadamente na capacidade de acionamento no ataque inicial”.

Para além de Monchique, o projeto prevê a ampliação da Base de Helicópteros em Serviço Permanente (BHSP) de Loulé, a construção de instalações de heliporto em Cachopo, no concelho de Tavira e da Unidade Local de Formação da Escola Nacional de Bombeiros do Azinhal, em Castro Marim. Quanto a esta infraestrutura “foi feito o projeto de arquitetura e das especialidades e, considerando o exponencial aumento do custo de materiais, esta componente do projeto será enquadrada num futuro programa dado não poder ser executada no presente prazo nem com os custos inicialmente previstos”, esclarece a CCDR Algarve.
“No que concerne aos heliportos, em face de alterações de projeto, houve que fazer novos enquadramentos temporais e financeiros e encontra-se em execução, desde abril de 2022, as obras de ampliação do Heliporto de Loulé, em início da execução de obras o Centro de Meios Aéreos de Monchique e, em Tavira, a empreitada do heliporto de Cachopo foi aprovada em Assembleia Municipal de 30 de setembro de 2022, aguardando, visto do Tribunal de Contas”, adianta a CCDR.

Para além das infraestruturas em fase de construção em Espanha e na região do Algarve, o “projeto CILIFO está a promover trabalho de proximidade sensibilizando as populações, desenvolver estudos através das comunidades académicas e dinamizar a formação dos operacionais dos bombeiros e da proteção civil”, explica a mesma fonte.

O investimento previsto no projeto, que envolve 15 beneficiários responsáveis pela execução de 18 milhões de euros de Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), que correspondem à comparticipação de um investimento total inicial de 24 milhões de euros, aprovado em 2018. O final da execução do projeto e, após prorrogação, está marcado para junho de 2023.

Para a região do Algarve, estão alocados cerca de 2,8 milhões de euros e para construção do Centro de Meios Aéreos de Monchique, o investimento previsto é de “1.938.174,71€ no total, com 993.750,00€ financiados pelo projeto CILIFO”, acrescenta Paulo Alves.

No seguimento deste investimento conjunto, Monchique recebeu o 9.º Encontro CILIFO, nos dias 13 e 14 de outubro, no qual “foram feitos pontos de situação de todos os projetos em curso, em Espanha e em Portugal, análise a pedidos de prorrogação de prazos para junho de 2023 e possibilidade de redistribuição de verbas oriundas de projetos que não avancem”, adiantou o edil monchiquense. Para além disso, este encontro contou com uma visita ao futuro Centro de Meios Aéreos e “pretendeu apresentar e promover Monchique, principalmente aos participantes espanhóis”, completa o autarca.

Na reunião, marcaram presença as 15 entidades do consórcio liderado pela Junta de Andaluzia, sendo parceiros no Algarve os municípios de Castro Marim, Loulé, Monchique e Tavira, a Comunidade Intermunicipal (AMAL), e é acompanhado, desde a sua génese, pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) e pela CCDR Algarve, enquanto entidade gestora do POCTEP.

De relembrar que os objetivos do projeto CILIFO são reforçar e promover a cooperação, os procedimentos de trabalho e a formação entre os Dispositivos de Prevenção e Extinção de Incêndios Florestais dentro da área de cooperação da Euro Região Alentejo-Algarve-Andaluzia (EUROAAA); promover a criação de emprego duradouro e de qualidade na área de influência do projeto; reduzir o custo económico dos incêndios fomentando a economia rural ligada à paisagem e melhorar a capacidade de resposta face aos incêndios florestais das entidades e autoridades implicadas no combate aos mesmos nas três regiões participantes.

Futuro Centro de Meios Aéreos
Share Button