Traineira “Portugal Primeiro” regressa ao cais de Portimão e vai estar aberta a visitas

A traineira “Portugal Primeiro”, uma das mais carismáticas embarcações do género ligadas ao cerco que operou no porto de pesca de Portimão, atracou, no dia 27 de julho, no cais Gil Eanes, depois ter sido alvo de um restauro no âmbito do projeto “Portugal Primeiro – Uma Traineira com História”.

Esta correspondeu à primeira fase deste projeto, que é da responsabilidade do Museu de Portimão, seguindo-se a musealização da embarcação agora salvaguardada e valorizada, “com recurso a painéis e equipamento interativos que contarão a sua rica história, abordando igualmente a descarga e comercialização do pescado em lota e a importância da construção naval em madeira para a atividade económica do concelho”, segundo a nota de imprensa enviada pelo município.

Amanhã, dia 1 de agosto, a embarcação recuperará algum do seu anterior protagonismo ao ser incluída na recriação da descarga que marcará o início do Festival da Sardinha, a realizar-se na zona ribeirinha de Portimão até 6 de agosto.

Mandada construir no ano de 1911 pelo industrial conserveiro e armador Júdice Fialho num estaleiro em Vigo, na Galiza, “Portugal Primeiro” foi a embarcação inicial de uma frota de nove galeões.  Em 1948, foi transformada em traineira assim que foi adaptada ao motor a diesel, mantendo a popa em leque que a distingue das demais. Depois de ter estado parada alguns anos no cais de Portimão, o barco foi adquirido, por volta dos anos 90, pela empresa Ribeiro & Quintas, que o recuperou nos estaleiros da Portinave, mantendo-se no ativo até 2008.

“A sua importância para a história de Portimão é assinalável, desde a pesca à construção naval e à indústria conserveira, sem esquecer a comercialização de pescado em lota, atividades responsáveis pelo crescimento económico e social da cidade durante o século XX”, destaca o município.

No projeto “Portugal Primeiro – Uma Traineira com História” também está prevista a requalificação do cais Gil Eanes, assim como a criação de uma rampa que permita ao público visitar o interior da traineira. Através da candidatura lançada pelo Museu de Portimão ao Programa Operacional Mar 2020, “Portugal Primeiro – Uma Traineira com História” contou com um investimento elegível total de 621.150 euros e a atribuição de um financiamento de 424.969 euros, tendo a intervenção sido efetuada nos estaleiros navais da Portinave – Sociedade de Construções Navais Portimonense.

Share Button