Tarifários da água sobem até 50% para quem não poupar nos consumos no Algarve

Para que os municípios algarvios consigam alcançar a meta de 15% na redução de consumo de água, estabelecida pelo Governo face ao grave problema de seca na região, a Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) aprovou na sexta-feira o aumento dos tarifários da água para quem não poupar nos consumos.

Os aumentos deixam de fora o primeiro escalão, do qual fazem parte quem consome até aos 5m3 de consumo por mês, tendo ficado estabelecido que, no segundo escalão (entre os 5 e os 15m3 de consumo mensais, abrangendo assim a maioria dos consumidores), a subida será de 15%, de 30% no terceiro (dos 15 aos 25m3 de consumo) e de 50% no quarto (acima dos 25m3).

Os municípios estão obrigados alcançar esta meta de 15% na redução de consumo de água, pelo que a AMAL avisa que irão ser aplicadas multas nos casos em que persistam usos considerados excessivos. Aqueles que, pelo segundo mês consecutivo, não reduzam o consumo, “sofrem uma redução na água que lhes é fornecida, o que significa que irão ter menos água disponível nas torneiras”, diz a AMAL.

Para além do aumento dos tarifários, os municípios já estão, há vários meses, a implementar uma série de outras medidas, com vista a baixar o consumo de água, como por exemplo, redução da rega nos espaços verdes, da lavagem de ruas e do tempo de funcionamento das fontes e fontanários, entre outras. Estão também, ao abrigo do PRR, a executar obras de reabilitação dos sistemas de abastecimento em baixa, com o objetivo de reduzir as perdas reais de água. Dos 16 municípios algarvios, apenas Silves manifestou a intenção de não implementar esta medida do aumento dos tarifários.

Citado em comunicado, o presidente da Comunidade Intermunicipal do Algarve espera que com estas medidas se ganhe “real consciência do grave problema que vivemos, na região do Algarve, e que obriga ao envolvimento e ao esforço de todos”. António Pina considera que, no caso do segundo escalão, que inclui a grande maioria dos consumidores, “se uma família poupar 15% no consumo, o aumento no tarifário vai ser nulo. Nos restantes escalões, se os consumidores adotarem a mesma postura, também não vão sentir a subida dos tarifários, mas quem não poupar, quem não for solidário com todos os outros consumidores e continuar a gastar mais água do que deve e necessita, vai ser penalizado, podendo, no limite, pagar mais 50% do que paga atualmente”.

Share Button