Sugestões para o mês: um livro, um filme e algumas saídas pelo Barlavento

Um livro

Toda a Luz que Não Podemos Ver, de Anthony Doerr (Editorial Presença, 2015)

Marie-Laure é uma jovem cega que vive com o pai. Quando as tropas de Hitler ocupam a França, pai e filha refugiam-se na cidade fortificada de Saint-Malo.

Werner Pfenning é um órfão alemão com um fascínio por rádios, talento que não passou despercebido à escola militar da Juventude Hitleriana. Os seus caminhos estão destinados a cruzarem-se.

Esta obra tem como pano de fundo a Segunda Guerra Mundial, um cenário muito abordado, mas com estas personagens o leitor sente perspetivas que não sentiria sem se embrenhar nas suas vidas: da infância à idade adulta.

Um livro de amizade, inocência, humanidade, ódio, medo e insegurança. Com capítulos pequenos, a obra flui e não se deixa largar.

Um filme

A Man Called Otto (2023), de Marc Forster

Imerso nas suas mágoas e idiossincrasias, Otto vive mal-humorado, angustiado com tudo e todos, sem vontade de continuar a viver. Uma nova vizinha, Marisol, vai mostrar-lhe como ultrapassar gradualmente a morte da sua mulher, começando por um pequeno (mas grande) passo que é desfazer-se dos seus casacos que ainda habitavam o hall de entrada. A vida de Otto começa a ganhar outra cor, ficando este novamente motivado para acordar todos os dias e tentar ajudar os outros no que pode.

Com um Tom Hanks hábil como sempre, A Man Called Otto desenrola-se com um sentido de humor que promete muitas e sonoras gargalhadas e culmina numa mensagem tão simples quanto valiosa: importa dar valor às pessoas que nos rodeiam, pois um abraço pode valer mais do que duas horas de meditação.

Agenda cultural

  • “Nem a poesia morre nem a gente canta: stand-up poetry”, na Biblioteca Municipal de Lagos – 1 de novembro, às 21h30

O coletivo RIR (Rui Spranger, Isaque Ferreira e Renato Filipe Cardoso) apresenta um novo espetáculo de stand-up poetry, percorrendo poemas e textos de autores numa espécie de clube dos poemas mortos que nos recorda que devemos viver cada dia como se fosse o último.

  • “Jazz Sessions”, no Clube União Portimonense – 2 de novembro, a partir das 21h30

Nos dias 2, 16, 30 de novembro e 14 de dezembro, os serões de jazz tomam conta do CUP, com entrada livre. São bem-vindos todos os músicos que queiram subir ao palco e juntar-se à jam.

  • II Festival de Música de Câmara VilaNova”, na Igreja Matriz de Monchique – 3 a 5 de novembro

Para a edição deste ano estão previstos, entre outros, concertos de piano e violoncelo, piano a quatro mãos e viola de arco e piano.

  • “Festival de Órgão do Algarve”, na Igreja Matriz de Portimão – 3 e 10 de novembro, às 21h

A Associação Música XXI vai promover a 16.ª edição do Festival Internacional de Órgão do Algarve, de 3 a 26 de novembro. O concerto inaugural decorrerá na Igreja Matriz de Portimão, no dia 3, às 21h, com o músico Filipe Veríssimo e o Coral Adágio. No dia 10, à mesma hora e no mesmo lugar, será a vez de Daniel Nunes (órgão) e Rui Piques (saxofone) subirem a palco.

  • 6.ª edição do Walk & Art Fest”, em Barão de São João – 3 a 5 de novembro

Aliando Caminhadas e Arte, o festival promete três dias recheados de atividades de educação ambiental para crianças e famílias, workshops técnicos, palestras, conversas e dezenas de percursos temáticos diários com diferentes níveis de dificuldade.

  • “Feira de São Martinho”, no Parque de Feiras e Exposições de Portimão – 3 a 12 de novembro

Aproxima-se a 360.ª edição da Feira de São Martinho, que é o evento popular mais antigo de Portimão. Não vão faltar as castanhas assadas, as farturas, as pipocas, o pão com chouriço, nem os mais diversos carrosséis e os carrinhos de choque.

  • “Tributo Metallica + Apocalypse Conspiracy + Tributo Pantera”, no Clube Desportivo Recreativo Pedra Mourinha (Portimão) – 4 de novembro, a partir das 20h30

Uma noite de concertos, promovida pela Associação Cultural Marginália, com três bandas diferentes. A entrada custa dez euros.

  •  “Workshop presencial de Doce Fino”, no atelier Amor Às Fatias (Portimão) – 5 de novembro, às 10h

Os participantes aprenderão as técnicas desta arte antiga, desde a escolha dos ingredientes à confeção da massa, passando pela modelagem. No final das quatro horas terão direito a um certificado de participação, bem como a todas as receitas e bolos confecionados.

  • “XXIV Concurso de Fado Amador ‘Cidade de Lagos’”, no Centro Cultural de Lagos – 5 de novembro, 21h30

Este domingo decorre a final da XXIV edição do concurso de fado amador. O bilhete custa 12 euros (ou 8 para reformados).

  •  “Workshop de Lanternas”, na Rua João de Deus, 10 (Monchique) – 10 de novembro, às 10h, 14h ou 18h

Com o frio e a chuva, só apetece ficar em casa a beber chá e a olhar para a janela. E que tal com uma lanterna personalizada acesa? Neste workshop prático serão demonstradas duas maneiras de como fazer lanternas.

  •  “O génio e a Saúde Mental: palestra – concerto”, no Centro Cultural de Lagos – 25 de novembro, às 16h

Concerto da Orquestra do Algarve integrado na semana dedicada à Saúde Mental, numa parceria com a Universidade do Algarve e a Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento. Tem entrada livre.

  • “Concerto de Jorge Palma”, no auditório Carlos do Carmo (Lagoa) – 25 de novembro, às 19h

O conceituada músico Jorge Palma vai apresentar o seu novo trabalho de originais, o álbum “VIDA“.

  • “Festival de Harpa do Algarve”, na Igreja da Misericórdia de Monchique  – 26 de novembro, às 16h

No âmbito da terceira edição do Festival de Harpa do Algarve, Monchique recebe Leonor Maia e Francisco Barbosa para um concerto de harpa e flauta.


  • Exposição “Elizabeth Mayston”, na Galeria de Sto. António (Monchique) – até 28 de novembro

Uma exposição onde a artista Elizabeth Mayston, cativada por Monchique, contempla a natureza através dos cinco sentidos, inspirando-se nesta bonita vila para a realização da suas obras.

  • Exposição “Life lines”, na Casa Manuel Teixeira Gomes – até 2 de janeiro

Uma mostra dos desenhos de grafite, que retratam a natureza algarvia, da artista residente em Monchique Tara Ezaguy Bongard.

  • Exposição “Tribute to Algarve”, na Galeria Manuela Vale (Lagoa) – entre 9 de novembro e 19 de janeiro

Uma exposição de fotografia do Algarve Photo Club que pretende ser uma homenagem ao Algarve através de diferentes olhares.

Share Button