Jornadas Europeias do Património visitam lagares de azeite e expõem tecelagem de Monchique

«Património Industrial e Técnico» foi o tema escolhido pela Direção Geral do Património Cultural (DGPC) para as Jornadas Europeias do Património (JEP) 2015 que terão lugar nos dias 25, 26 e 27 de setembro.

Com o objetivo de sensibilizar a população para a «importância da memória na construção de um futuro melhor», este ano as JEP pretendem, segundo a DGPC, entidade coordenadora das atividades a nível nacional, «envolver-nos a todos naquilo que está presente no nosso quotidiano e que nos foi deixado num legado que é testemunho do engenho e criatividade de gerações passadas», como fábricas, moinhos, pontes, minas, linhas de caminho de ferro, pequenas indústrias artesanais, arquivos públicos e empresariais, vilas operárias, entre outros.

À semelhança de outras localidades do país, também o concelho de Monchique se associa à iniciativa promovendo, ao longo destes três dias, uma série de ações que pretendem transmitir à população a importância de salvaguardar o seu património cultural.

Nesse sentido, serão realizadas, de acordo com o arqueólogo da Câmara Municipal de Monchique (CMM), Fábio Capela, «quatro atividades culturais no concelho, todas de acesso gratuito».

No dia 25 de setembro, pelas 17h00, vai ser inaugurada a exposição temporária «A Tecelagem na Serra de Monchique: um passado com futuro», que vai estar patente na Galeria de Santo António até dia 9 de outubro. Segundo Fábio Capela, esta mostra vai «contar uma história desde a Pré-história Recente até à atualidade, tendo como ponto de partida uma réplica artesanal do fragmento de tecido com mais de 4000 anos encontrado numa sepultura situada na envolvência das Caldas de Monchique», mas vai também reunir um conjunto variado de materiais arqueológicos e ferramentas de trabalho relacionadas com a prática da tecelagem e outros ofícios tradicionais. Durante o fim de semana das Jornadas, a exposição vai estar aberta entre as 10h00 e as 13h00 e entre as 14h00 e as 18h00, passando depois a abrir ao público de segunda a sexta feira, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 16h30.

Para o dia 26 de setembro, está prevista a palestra intitulada «A Tecelagem Tradicional da Serra de Monchique», inserida no Ciclo de Conferências «História, Memória e Património do Concelho de Monchique», que terá lugar no Salão Nobre dos Paços do Concelho, a partir das 16h30, e terá como conferencistas convidadas as investigadoras Sara Duarte e Selma Pereira.

O último dia de atividades, dia 27, será preenchido com três visitas guiadas aos lugares com importância histórica e relacionados com o património industrial do concelho, as quais, embora gratuitas, carecem de inscrição prévia, pois estão limitadas a um máximo de cinquenta participantes. A primeira visita começa no Parque da Mina, a partir das 10h30 e prolonga-se até às 12h00, devendo os inscritos se concentrarem no parque de estacionamento desse espaço. Entre as 14h00 e as 15h00 terá lugar a visita guiada ao Antigo Lagar de Azeite de Marmelete e pelas 15h30 realiza-se a visita ao Lagar de Azeite dos Pardieiros, no Alferce, estando prevista, no final da mesma, às 17h00, uma degustação de tiborna. Os interessados devem enviar a sua inscrição para o e-mail fabio.capela@cm-monchique.pt ou para o número de telefone 282910200 /219.

Tal como em anos anteriores, vão estar abertos ao público, no decorrer das JEP, três núcleos museológicos do município, como o pólo museológico do Moinho do Poucochinho, no Barranco dos Pisões, que estará aberto, no dia 25 de setembro, entre as 14h00 e as 18h00 e nos dias 26 e 27 entre as 10h00 e as 13h00, o pólo museológico de Arte Sacra de Monchique, anexo à Igreja Matriz, aberto entre as 14h00 e as 17h00 do dia 25 e das 10h00 às 13h00, nos dias 26 e 27, e ainda o pólo museológico de Arte Sacra do Alferce, que terá de portas abertas apenas nos dias 26 e 27 de setembro entre as 15h00 e as 18h00.

As Jornadas Europeias do Património são uma iniciativa anual do Conselho da Europa e da União Europeia, envolvendo cerca de 40 países, tendo como objetivo a sensibilização dos cidadãos para a importância da valorização do património cultural, através de um diversificado programa de actividades, cujo acesso, na sua grande maioria, é gratuito.