Governo proíbe caça nas áreas afetadas pelo incêndio de Monchique

O Governo proíbe, a partir de amanhã, dia 21 de setembro, o exercício da caça nos terrenos situados no interior do perímetro da área percorrida pelo incêndio que atingiu os concelhos de Monchique, Odemira, Portimão e Silves, em agosto. A proibição estende-se, igualmente, a uma faixa de proteção de 250 metros envolvente daquela linha perimetral.

De acordo com a portaria publicada hoje, a interdição de caça decorre «até ao final da época venatória 2018/2019» e visa «restabelecer as populações de espécies cinegéticas que foram afetadas significativamente pelo incêndio naquelas áreas rurais».

A exceção a esta medida, conforme comunicado à imprensa do Gabinete do Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, vai para a caça ao javali «uma vez que se trata de uma população com um número elevado de efetivos, à qual devem ser aplicadas medidas de gestão que adaptem o número de indivíduos aos recursos existentes».

A portaria determina ainda que «as entidades concessionárias de zonas de caça associativa e turística, cujos terrenos se encontrem abrangidos por esta proibição, fiquem isentas, durante o ano de 2019, do pagamento da taxa anual de manutenção da concessão». Segundo a mesma fonte, «pretende-se, desta forma, minimizar o impacto do incêndio e da proibição de caça na gestão daquelas entidades».