Festival do Medronho teve saldo positivo

O medronho foi o centro de todas as atenções no festival que teve lugar nos dias 20, 21 e 22 de novembro, no Heliporto Municipal, em Monchique.
Organizado pela Câmara Municipal de Monchique (CMM), em colaboração com a Associação de Produtores de Aguardente de Medronho do Barlavento Algarvio (APAGARBE) e a Confraria do Medronho «Os Monchiqueiros», este evento proporcionou aos visitantes uma série de atividades dedicadas apenas a este fruto, tais como showcookings e mostras gastronómicas, passeios pedestres, exposições e venda de aguardente e ainda um congresso, que decorreu durante o primeiro dia do certame.
De acordo com a CMM, participaram nesse debate «mais de 100 congressistas e 20 oradores convidados, divididos em quatro painéis distintos, que encheram durante todo o dia a zona do Congresso, mantendo acesa a discussão em torno deste tema que, pelo interesse e qualidade dos oradores, prendeu toda a assistência».
Rui André, presidente da CMM, considera que «o medronho já merecia um festival só para ele», dado que há três anos o mesmo se realizava em simultâneo com a Feira do Presunto e «durante centenas de anos, fez parte do quotidiano dos habitantes de Monchique, quer através da sua destilação, quer através da envolvência económica que o mesmo sempre apresentou para as famílias deste território». O edil reconhece que «tanto o Congresso como o Festival se revelaram um sucesso», pois envolveu produtores e diversas associações, as quais desenvolveram «uma excelente organização e promoção de um festival que conseguiu obter o sucesso no final, superando muitas das nossas expetativas».
Também José Paulo Nunes, presidente da APAGARBE, não esconde a satisfação pelo sucesso conseguido neste evento. O responsável por esta associação faz um balanço «bastante positivo» do festival e afirma que «quer em termos dos produtores, quer em termos do congresso, o certame se revelou ter sido muito importante para o futuro do medronho, como para o concelho de Monchique».
O Festival do Medronho ficou ainda marcado pelo lançamento da marca «Monchique Capital do Medronho», a qual constitui, segundo a edilidade, «uma referência e denominação de uma tradição e atividade presente neste concelho e que leva Monchique a assumir a ambição de querer continuar a ser a capital da produção de aguardente de medronho mas também de encetar novas dinâmicas com vista a perpetuar o lugar que ocupa em termos de qualidade e imagem associada».