Fabio Jakobsen vence 1.ª etapa da Volta ao Algarve 2022

Fabio Jakobsen venceu a etapa inaugural da 48.ª edição da volta ao Algarve. O ciclista holandês da equipa Quick – Step Alpha Vinyl Team foi o mais rápido na chegada ao sprint a Lagos, numa etapa que favorecia os homens mais velozes do pelotão.

A partida simbólica teve lugar em Portimão, mais precisamente na zona ribeirinha da cidade. Já o quilómetro zero, a partir do qual a distância absoluta da etapa começa a ser contada, foi estabelecido do outro lado do rio Arade, na povoação do Parchal. Foi aqui que se deu o arranque às 12h25. Ainda o pelotão cumpria os primeiros 17 quilómetros quando se deu uma fuga. Asier Etxeberria (Euskaltel-Euskadi), Fábio Oliveira (ABTF-Feirense), Hugo Nunes (Rádio Popular-Paredes-Boavista) e João Matias (Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados) foram os quatro ciclistas que se separaram do resto do grupo e arriscaram uma estratégia diferente. Rapidamente, os homens da frente estenderam a sua vantagem, passando dos 35 segundos de diferença sobre o pelotão ao quilómetro 19 para 2m35s à passagem do quilómetro 30. Esta margem permitiu que os quatro atletas dividissem entre si as contagens de montanha e as metas volantes estabelecidas ao longo da etapa. Ao quilómetro 39,1, Hugo Nunes (Rádio Popular-Paredes-Boavista) venceu a primeira contagem de montanha em Aldeia dos Matos. Já na primeira meta volante em São Bartolomeu de Messines, ao quilómetro 54,6, João Matias (Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados) foi quem levou a melhor sobre os seus adversários, numa altura em que a margem sobre o pelotão quedava-se nos dois minutos.

Nova contagem de montanha, desta vez na Nave, concelho de Monchique, ao quilómetro 97,8. Aqui, a vitória sorriu a João Matias (Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados), um triunfo que lhe permitiu alcançar a liderança na classificação geral de montanhas e tornar-se o detentor da camisola azul Lusíadas no final da etapa. A segunda meta volante (Aljezur), localizada ao quilómetro 128,3, foi ganha por Hugo Nunes (Rádio Popular-Paredes-Boavista). A partir deste ponto, a margem deste pequeno grupo sobre o pelotão começou a descer progressivamente.

Os quatro participantes da fuga foram alcançados poucos quilómetros depois da última meta volante (Vila do Bispo), onde Hugo Nunes (Rádio Popular-Paredes-Boavista) alcançou mais um triunfo. A etapa ficou ainda marcada por duas quedas coletivas já perto do final da prova. A primeira deu-se a 38,6 quilómetros da meta, um incidente que afetou a segunda metade de um pelotão que ganhava cada vez mais velocidade. Já a segunda queda ocorreu a apenas 12 quilómetros do final do percurso, comprometendo as aspirações de participantes como Warren Barguil (Team Arkéa-Samsic).

O pelotão começava a ganhar ainda mais velocidade e as grandes equipas do World Tour começavam a tomar conta da dianteira. INEOS Grenadiers, Quick-Step Alpha Vinyl, Intermarché-Wanty-Gobert e Bora-hansgrohe assumiam protagonismo, numa fase em que os melhores sprinters tentavam colocar-se na melhor posição para atacarem na altura certa. No final, a população de Lagos viu os atletas cortarem a linha da meta numa chegada bastante renhida entre os homens da frente. Fabio Jakobsen venceu a etapa com o tempo de 4h56m29s, o mesmo tempo que Jordi Meeus (Bora-hansgrohe), Bryan Coquard (Cofidis) e  Alexander Kristoff (Intermarché-Wanty-Gobert Matériaux), que foram segundo, terceiro e quarto classificados, respetivamente. No entanto, o belga foi desclassificado por sprint irregular. Assim sendo, Coquard e Kristoff foram promovidos aos restantes lugares do pódio.

Amanhã será o dia da etapa que costuma ser decisiva para os candidatos à vitória da Volta ao Algarve. Os ciclistas percorrerão um total de 182,4 quilómetros, com início na cidade de Albufeira e tendo como principal ponto de interesse a chegada ao Alto da Foia, em Monchique. Esta subida será uma contagem de montanha de 1.ª categoria, sendo a mais desafiante de todas as que compõem este evento desportivo.

D.P. – Volta ao Algarve

Foto: Américo Telo

Share Button