Campanha arqueológica arranca no Alferce

A Campanha arqueológica no Sítio Arqueológico do Cerro do Castelo do Alferce arrancou ontem, dia 25, e decorrerá até dia 2 de setembro. Esta iniciativa está inserida no Projeto de Investigação Plurianual em Arqueologia intitulado “Da Pré-história Recente ao Medieval Islâmico: antigas ocupações humanas no Cerro do Castelo de Alferce”.

Segundo o Município de Monchique, “considerando os resultados das duas campanhas arqueológicas já realizadas, pretende-se continuar a investigar o espaço localizado entre os tramos de muralha oeste dos dois recintos fortificados existentes no topo do cerro – área que encerra muitos vestígios arqueológicos”. O órgão municipal adianta que continua a investigação da “área da antiga entrada para o recinto fortificado superior (…) a designada ‘plataforma pré-histórica’, neste último caso com o propósito de se determinar a eventual existência de estruturas arqueológicas soterradas”. A campanha também incide sobre a “limpeza do terreno na área definida pelos dois recintos fortificados que coroam o cerro”, como a “remoção das pedras que se encontram dispersas pelo solo”, sendo que serão feitos “um levantamento microtopográfico do terreno” e uma “realização de ações de prospeção arqueológica seletiva na envolvência do arqueossítio”, de modo a que “áreas com potencial arqueológico” possam ser reconhecidas.

A entidade municipal acrescenta que, “considerando o propósito formativo inerente a este projeto de investigação, esta terceira campanha arqueológica contará com a presença de estudantes e investigadores associados a diferentes instituições de ensino superior, sobretudo relacionados com as áreas de arqueologia, zooarqueologia e património cultural”. Tendo em conta também o contributo desta campanha para “a produção de conhecimento científico atualizado, mas também para a valorização e divulgação do arqueossítio”, os responsáveis perspetivam a “realização de um ‘dia aberto’ à população em finais do mês de agosto”, cuja data ainda será definida.

Este projeto de investigação “encontra-se em vigor desde 2020, sendo promovido pelo Município de Monchique, em parceria com a Universidade do Algarve, a Universidade de Évora e o Campo Arqueológico de Mértola, com o apoio da Junta de Freguesia de Alferce e da Associação Arqueológica do Algarve”.

Localizado a “487 metros de altitude”, este “arqueossítio é formado por três recintos fortificados, evidenciando-se que o maior define uma área intramuros com aproximadamente 9 hectares”, sendo que o “vulgarmente chamado Castelo do Alferce corresponde ao recinto fortificado que coroa o cerro, cujas muralhas encontram-se parcialmente a descoberto”. Este sítio foi “ocupado por diferentes comunidades humanas em distintos momentos civilizacionais”, como as ocupações “islâmica-omíada (séculos IX-XI d.C.)” e da “Pré-história Recente, particularmente na Idade do Bronze (II milénio a.C.)”.

Share Button