APDPk – Delegação do Barlavento disponível para prestar cuidados e auxílio

O Dia Mundial de Doentes de Parkinson, comemorado a 11 de abril de cada ano, alerta para uma doença que «muitas vezes é incompreendida», segundo Manuel Almeida, presidente da Associação Portuguesa de Doentes de Parkinson (APDPk) – Delegação do Barlavento, já o dia 16 de novembro de 2002 marcou o arranque desta entidade que tem o objetivo de «auxiliar e apoiar os doentes de Parkinson e as suas famílias».
No concelho de Monchique há dois utentes, portadores desta doença, que duas vezes por semana recorrem aos serviços da associação. As sessões de fisioterapia prestadas por Gabriela Monteiro, uma fisioterapeuta voluntária e apontada por Armindo Alves, doente de Parkinson, como «uma querida e que dá tudo o que pode para que os doentes possam usufruir de boa fisioterapia». Estas sessões, explica Manuel Almeida, «são das coisas que mais contribui para que a doença não evolua».
O transporte dos doentes para as sessões de fisioterapia ou de terapia da fala, «muitas vezes é feito em carro particular», não obstante a delegação ter uma carrinha, no entanto, conforme esclarece o dirigente associativo, «sai mais barato fazê-lo desta forma, já que a carrinha precisa de manutenção».
A APDPk – Delegação do Barlavento, apesar das dificuldades inerentes a uma associação «tenta modificar para melhor a vida dos doentes» no entanto, «não podemos obrigar ninguém a participar nas nossas atividades, nem enquanto voluntário, nem como familiar ou utente». Todavia, muitas vezes, a associação é procurada «por doentes estrangeiros que cá vêm passar férias e que têm contacto com a página do Facebook».
«Como a doença de Parkinson convida ao ócio e os doentes, geralmente, isolam-se devido à incapacidade que se vai gerando», esclare o presidente da delegação. Uma situação testemunhada, também por Armindo Alves que admite ser «uma luta diária» fazer algumas tarefas ou sair de casa, porque «não apetece fazer nada».
As estatísticas da Organização Municipal de Saúde mostradas ao Jornal de Monchique por Manuel Almeida indicam que no Algarve existem, perto de 1600 doentes de Parkinson, no barlavento cerca de 700 e em Monchique por volta de 20. No entanto, o dirigente associativo confessa que «a maior parte não tem contacto com a associação».
Os doentes ou familiares, bem como pessoas que se queiram disponibilizar como voluntárias, podem dirigir-se à associação que está de portas abertas para receber e apoiar todos.
A associação promove diversas atividades durante o mês de abril, nomeadamente um chá/lanche no dia 14 de abril, com a atuação do Grupo de Cavaquinhos & C.ª da ACD Che Lagoense e no dia 16 uma sessão solene de encerramento das comemorações do Dia Mundial dos Doentes de Parkinson. Para o mês de maio, dias 7 e 8, está ainda marcada «a habitual saída/passeio, onde os associados, cuidadores, familiares e amigos», poderão visitar Setúbal, Lisboa e Fátima, «constituindo para alguns, uma mudança radical nos hábitos diários, este ano apoiada pelo Município de Lagos».
Quem quiser poderá ainda contribuir através de um donativo no IRS.
APDPk nacional foi fundada a 14 de abril de 1984 por um grupo de doentes de Parkinson, tendo havido em 1998 uma alteração de estatutos por iniciativa dos próprios fundadores onde foi permitido o acesso a associados não doentes.