Algarve já aplicou 78% dos fundos europeus do CRESC 2020

No mês de maio foram aprovados 1521 projetos no âmbito do Programa Operacional do Algarve, informou a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve no seu boletim mais recente, pelo que a região já executou 78% dos fundos europeus do CRESC Algarve 2020 e regista uma taxa de compromisso de 106%.

Enquanto o investimento elegível neste mês foi de 588 milhões de euros, o financiamento comunitário foi de 339 milhões de euros e a execução de 391 milhões de euros. Os pagamentos efetuados ascendem a 248 milhões de euros.  

A CCDR destaca três projetos no boletim “que visam reforçar a competitividade do território, afirmar a coesão social e reduzir e prevenir o abandono escolar precoce“, nomeadamente a restauração do pavimento de mosaicos romanos no Polo Museológico de Vila do Bispo, a criação de uma clínica, em Faro, com o equipamento e especialização necessários para a prática de odontopediatria e o apoio dos Cursos de Educação e Formação de Jovens (CEF) na Escola Profissional Gil Eanes de Portimão que se destinam, preferencialmente, a jovens em risco de abandono escolar.

Ao nível dos concelhos, Faro é o que regista mais projetos (332) e fundos aprovados no total (78,3 milhões de euros) – o que a CCDR justifica com o facto de a zona sediar os organismos da administração pública e a Universidade, que têm, respetivamente, 36 e 45 projetos e 28 e 22 milhões de euros de fundo aprovado, “embora estes possam ocorrer noutros territórios”.

Nos instrumentos territoriais destacam-se os PARU – Planos de Ação de Regeneração Urbana, que apresentam uma taxa de pagamento de 86,3% e uma taxa de execução de 74,7%, bem como o PADRE – Plano de Ação de Desenvolvimento de Recursos Endógenos, com uma taxa de execução de 80,78%.

Share Button