«365 Algarve» encerra a 2.ª edição do programa cultural

O programa cultural encerra as suas propostas de dinamização da região durante a época baixa do turismo e dá lugar ao verão que está a chegar. A 2.ª edição do programa cultural «365 Algarve» traz ao mês de maio uma agenda com eventos que passam pela música, o teatro, artes visuais, gastronomia, cinema e visitas ao património da região.

Na primeira das sete artes, a música tem lugar com o 33.º FIMA que integra um concerto com sonoridades clássicas como o Rock e Jazz, no Centro Cultural de Lagos, no dia 4, pelas 21h30, com o violoncelista Paulo Gaio Lima. Albufeira recebe, dia 10, pelas 21h30, a «Shubertíada». No dia seguinte, 11 de maio, a música chega a Loulé com «Mendelssohn!», pelas 21h00, no Cineteatro da cidade.

A música continua e no dia 12 vai estar aliada aos vinhos com «Wine Melodies». Este evento vai decorrer no Hotel Conrad Algarve, na Quinta do Lago. O «Jazz nas Adegas» marca presença mais uma vez com a apresentação do projeto P.L.I.N.T., «que resulta da junção de três músicos com diferentes experiências de migração, o pianista Pablo Lapidusas (Argentina, Brasil), o baterista Marcelo Araújo (Brasil, Portugal) e o baixista Leo Espinosa (Cuba, Espanha). A performance tem a sua exibição marcada para o dia 12 de maio, pelas 21h00, na Quinta do Barranco Longo, Algoz», segundo o agendamento enviado pela Emirec Consulting.

Como todos os dias contam neste programa cultural, o FIMA continua com a «História do Soldado», narrada por Diogo Infante, no 18, pelas 21h00, no Grande Auditório de Gambelas, em Faro. As viagens continuam por Silves com «Recordações de Viagens», com exibição no dia 19 de maio, pelas 21h00, no Teatro Mascarenhas Gregório. «Este é um projeto que viaja por obras como ‘Cenas da Montanha’ do português Viana da Mota, ‘Noite nas estradas de Madrid’ do italiano Bocherinni e ‘Souvenir de Florence’ do russo Tchaikovsky».

A 24 de maio, às 21h00, no Teatro Municipal de Faro, sobe ao palco a suite orquestral «As Mil e Uma Noites», uma das obras do repertório orquestral – Sheherazade, que conta a história da Sultana com o mesmo nome, que salvou a sua vida graças às histórias com que foi entretendo o seu marido, o Sultão Schariar. Este concerto terá como solista o italiano Francesca Dego.

Em Portimão, no TEMPO – Teatro Municipal de Portimão, a cantora e compositora marroquina Oum apresenta «Zarabi», uma fusão entre vários estilos musicais como o Jazz, Gnawa e Hassanya. Lagos recebe no Centro Cultural, a Orquestra de Jazz do Algarve  que convida Silje Nergaard & Rick Margitza, no dia 25 de maio às 21h30, num concerto único interpretado por duas referências do jazz mundial. No dia 26, pelas 21h30, toca o «Quinteto Flamenco Jazz Company», no qual se reúnem alguns músicos espanhóis de jazz em torno de um projeto onde se misturam as sonoridades do Jazz e do Flamenco. No mesmo dia, às 19h30, no Monte Clérigo, interpretado pela Orchestra di Piazza Vittorio, toca o CREDO. Lagos encerra as experiências musicais com Sarah Mackenzie, no dia 27, pelas 21h30, no CCL.

A dança traz «One Step Before The Fall», de Spitefire Company (Republica Checa) que aborda «um tipo de segregação, que tem tanto de silenciosa, quanto de violenta e de incontrolável». O espetáculo terá a sua exibição no Teatro das Figuras, a 5 de maio, pelas 21h30. Em Portimão, o palco do TEMPO dá espaço à «peça experimental Kismet (Turquia), que aborda a lei da causa e efeito, mas também o conjunto de eventos que criam possibilidades infinitas e abrem espaço para resultados inesperados, frequentemente denominados como Karma, destino, fado ou Kismet (crenças orientais)».

A 18 de maio, no CAPa – Centro de Artes Performativas do Algarve, em Faro, e a 19 de maio no Centro Cultural de Lagos, Cie Sun of Shade (França), Vincent Mantsóe (África do Sul/França) e Roni Chadash (Israel) apresentam, às 21h30, em quatro momentos distintos «Slave», «Gula Bird», «Ani-Ma», «Goofy». Portimão recebe «Sem Retorno», dia 23, pelas 21h30 no TEMPO. «Esta atuação, submersa num clima de grande tensão política e agitação social, é uma reflexão sobre o estado de espírito, personalidade e introspeção». Loulé terá, no dia 25, no Cine-Teatro, a peça «Brother» de Marco da Silva Ferreira.

A dança termina com «Dois Séculos», de Quorum Ballet, a 26 de maio, pelas 21h30 no Teatro Municipal de Portimão, onde será possível conhecer um pouco da vida de Manuel Teixeira Gomes, através das linguagens da dança, do teatro, da poesia, da música e das artes plásticas e técnicas multimédia.

O teatro segue com «Liberation», no Cine-Teatro de Loulé, dia 4, pelas 21h30. Em Monchique as peças «Cantina», de 19 a 22 de maio, tem lugar na Antiga Serração e insere-se no programa «Lavrar o Mar». O teatro continua pela serra algarvia, mas com «Clowns», dias 31 de maio e 1 de junho, «no qual três artistas – Enano, Leo Lobo e Thorsten Grüjten (Tosta Mista) – refletem sobre o significado de ser Clown».

O circo contemporâneo, que marcou alguns momentos «mais bonitos» do programa, tem lugar no dia 4 e 5 de maio, integrado no Festival Entre Mares, apresentado pelo Groupe Acrobatique de Tanger, com a peça «Halkja». «Este grupo de 14 acrobatas e músicos, ergue uma acrobacia dinâmica ao ritmo de tambores, tar, banjo e ribab, misturando poesia, humor e melancolia, num espetáculo que presta homenagem à arte ancestral marroquina da acrobacia».

Nas artes visuais o destaque vai para a exposição «Refúgio da Segregação», que pode ser visitada até 5 de maio, das 13h00 às 19h30, no Foyer do Teatro das Figuras, em Faro. A autora, Elisabete Maisão, mostra asa «dificuldades enfrentadas por aqueles que se veem forçados a distanciar-se das suas raízes, e que, apesar das circunstâncias, não faltam histórias positivas de partilha». A artista tem ainda outra exposição, até 19 de maio, na Galeria Praça do Mar em Quarteira, onde apresenta «Paris, Hoje», resultado recolha de imagens que denunciam o modo como vivem hoje os refugiados da Síria, da Eritreia, do Afeganistão, do Paquistão e de outros países.

«CataPlay» continua no mês de maio trazendo os sabores algarvios a este programa. «A peça, que mostra como as tradições herdadas das várias civilizações que viveram no Algarve passam de geração em geração, faz da experiência culinária um verdadeiro espetáculo numa sessão de 60 minutos, no dia 13 de maio às 18h00 na Tertúlia Algarvia». O festival «Terra de Maio» vai decorrer em Castro Marim, de 25 a 27 de maio, no Centro Multiusos do Azinhal.

A sétima arte encerra-se nesta programa com um cine-concerto, através do projeto «Vídeo Lucem», com a exibição do filme «Os faroleiros» de Maurice Mariaud (Portugal, 1922), vai juntar-se a música ao vivo dos «Dead Combo», com as Moçoilas na abertura. Esta despedida do Vídeo Lucem será no Farol de Vila Real de Santo António.

O património pretende dar continuidade ao «Ecofest», com o  o apoio da Câmara Municipal de Olhão e do PNRF – Parque Natural da Ria Formosa. Neste evento pretende-se animação musical e o contacto com o património natural e cultural, onde as pessoas possam «aprender, conhecer, apreciar e até contribuir para a sua preservação e valorização».O evento decorrerá de 4 a 6 de maio, das 10h00 às 23h00, no Parque Natural da Ria Formosa, em Marim.

O projeto etnográfico «Compromisso Marítimo», conta com mais uma sessão no dia 19 de maio, no Chão Queimado – Estátua de São Gonçalo de Lagos, e propõe uma viagem guiada através da etnografia, da história, da gastronomia e das manifestações culturais e artísticas da cidade de Lagos. No dia 26 de maio, pelas 15h00, decorrerão os exercícios teatrais «Sítios com História», «em que um Viajante procura desvendar os segredos das pedras megalíticas, convidando o público a participar na assembleia que debate a sua interpretação». O «Faro Desvendado», fechará com mais duas apresentações nos dias 25 e 30 de maio às 18h30, mostrando como é possível «viajar» às origens e à diversidade cultural que esteve na base da formação da cidade de Faro e do Algarve.

Pode aceder à informação mais detalhada sobre cada evento aqui.