Vamos perceber a gripe e a sua vacina

Foi no dia 14 de outubro, que a campanha da vacinação contra a gripe arrancou em Portugal e as vacinas contra a gripe já estão disponíveis para serem administradas.

Mas o que é a gripe? É uma doença viral aguda que afeta as vias respiratórias. É contagiosa e a cura, de forma geral, é espontânea. É uma doença de curta duração (3 a 4 dias) com sintomas de intensidade ligeira a moderada, evolução benigna e cuja recuperação completa demora de 1 a 2 semanas. Não é, normalmente, uma doença grave, no entanto, nas pessoas idosas e nos doentes crónicos, a recuperação é mais demorada e o risco de complicações é maior (como por exemplo pneumonia e/ou descompensação da doença de base).

A gripe manifesta-se por início súbito de febre alta, mal-estar, dores musculares e articulares, dores de cabeça, secreção nasal e tosse seca. Temos que ter atenção que constipação e gripe não são a mesma doença. Ao contrario da gripe, os sintomas da constipação são mais graduais, estão restritos às vias respiratórias superiores e raramente ocorre com febre alta.

A gripe é uma doença contagiosa e o vírus é transmitido através de partículas de saliva de uma pessoa infetada, sobretudo através da tosse ou espirros, mas também por contacto direto com partes do corpo ou superfícies contaminadas (por exemplo, as mãos).

Se apanhar gripe, fiquem em casa, em repouso, mantendo sempre o ambiente ventilado e não se agasalhe demasiado. Um dos atos mais importantes é medir a temperatura corporal várias vezes ao dia e caso tenha febre, deve tomar paracetamol. Para tratar a obstrução nasal, use soro fisiológico e faça lavagens frequentes. Beba muitos líquidos, nomeadamente água ou chá. Tenha cuidados de higiene para evitar transmitir a gripe, como reduzir o contacto com outras pessoas, e realizar lavagem das mãos frequentes com água e sabão. É fundamental que use lenços de papel de utilização única e ao espirrar ou tossir proteja sempre a boca (ou com o lenço de papel ou com o antebraço, evitando o contacto com as mãos).

A gripe e as suas consequências podem ser evitáveis através da vacinação anual. Ora, a vacina contra a gripe não contém o vírus vivo, pelo que não pode provocar a doença. É importante ser administrada todos os anos, porque o vírus da gripe muda constantemente e, assim, a vacina do ano de 2018 e anteriores, não confere a proteção adequada para este ano. A proteção é contra quatro tipos de vírus, portanto existe maior probabilidade desta abranger os vírus que irão circular, consequentemente será mais efetiva.

A vacina reduz muito o risco de infeção. E no caso de uma pessoa vacinada ser infetada pelo vírus da gripe o que acontece? Terá sintomas muito ligeiros e o risco de complicações reduz abruptamente. Esta é uma das razões por já todos termos ouvido pessoas do nosso ciclo mais próximo dizer “o ano passado vacinei-me e fiquei doente, por isso este ano não me vacino”. É importante desmistificar esta afirmação porque, de fato, é provável que esta situação ocorra por existirem outros agentes patogénicos (que provocam doença) a circular no ar e que não estão incluídos na vacina. Como tal, uma pessoa vacinada pode ficar exposta a esses agentes e, por isso, ficar doente. Além do mais, como não conseguimos prever a gravidade desta época de gripe, devemos estar prevenidos e, é à vacina da gripe que cabe esse papel, pois é uma das mais potentes armas que temos para nos acautelar para o que aí se avizinha.

Os grupos de risco em que, a vacina da gripe, é fortemente recomendada e gratuita são: pessoas com idade igual ou superior a 65 anos, doentes crónicos (por exemplo diabéticos ou doentes com doença renal crónica a realizar diálise), doentes imunodeprimidos, profissionais de saúde e outros prestadores de cuidados. É, também recomendada a grávidas e a pessoas com idade entre os 60 e os 64 anos, no entanto não é gratuita, podendo ser dispensada nas farmácias com receita médica. A vacina da gripe é contra-indicada, apenas, a pessoas com alergia grave ao ovo ou que tenham tido reação alérgica grave a uma dose anterior.

Concluindo, a vacinação contra a gripe é fundamental, pois o vírus que a causa é o agente infeccioso mais frequente a causar doença na Europa. Neste contexto, a vacinação representa a medida mais importante na prevenção desta doença e das suas complicações. Se tiver duvidas, receios ou medos, não fique quieto, dirija-se ao seu centro de saúde e informe-se junto dos profissionais de saúde.

 

Inês Galiza
Médica interna de medicina geral e familiar no Centro de Saúde de Monchique

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *