Turismo do Algarve teme instabilidade financeira para a região devido ao BREXIT

A Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) emitiu hoje um comunicado sobre a instabilidade financeira e implicações que a saída do Reino Unido da União Europeia pode vir a ter nos resultados turísticos da região nos próximos tempos.

De acordo com esta entidade «o marcado britânico é o principal fornecedor de turistas estrangeiros do Algarve, sendo responsável por cerca de 1,8 milhões de passageiros desembarcados, anualmente, no Aeroporto de Faro, mais de 54 por cento do total, dos quais 1,1 milhões ficam hospedados nos meios classificados oficialmente e 700 mil em segundas residências, casas de amigos e alojamento não classificado».

A mesma associação representante dos empresários e hoteleiros turísticos do Algarve, acrescenta ainda que «os turistas oriundos do Reino Unido permanecem, em média, 5,8 dias na região, enquanto a estadia média global não ultrapassa os 4,9 dias. Acresce que mais de 60 por cento dos jogadores de golfe são britânicos, ou seja, cerca de 155 mil pessoas, havendo ainda 50 mil residentes temporários no Algarve oriundos do Reino Unido, contribuindo em larga medida para o sucesso do turismo residencial do Algarve».

A economia do turismo do Algarve está, desta forma, muito dependente do Reino Unido, «com eventuais convulsões económicas e sociais naquele país a reflectirem-se negativamente e de forma muito profunda nos resultados turísticos e empresariais da região em particular e do nosso país em geral», conclui a AHETA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *