Torneio «Challenge Tour» no Algarve está em contagem decrescente

O «Challenge Tour» realiza-se no Algarve, Morgado Golf Course, em Portimão, com 200 mil euros de «prize-money» e 156 jogadores, dos quais 15 são portugueses. Este evento vai ter lugar entre 10 e 13 de maio.

A Federação Portuguesa de Golfe (FPG), a PGA de Portugal, o grupo NAU Hotels & Resorts e o Challenge Tour apresentaram na quinta-feira, em Lisboa, a 56.º edição do Open de Portugal.  O «Challenge Tour», uma prova da 2.ª divisão profissional europeia, logo abaixo do European Tour, conta com 200 mil euros a serem distribuídos em prémios monetários.

De acordo com a PGA de Portugal, entre os participantes encontram-se Ricardo Santos, Filipe Lima e Pedro Figueiredo, que «têm entrada directa no torneio por serem membros do Challenge Tour». segundo comunicado enviado pela BA&N.  Quanto aos «wild cards», acordo com o critério do Ranking Nacional, estão garantidos os nomes de Tomás Silva, João Carlota, João Ramos, Tiago Cruz e Tomás Melo Gouveia.

Ainda nesta época «o torneio integra o “Iberian Swing” a par do Challenge de Espanha e do Andalucia Costa del Sol Match Play 9, tendo como embaixadores os antigos futebolistas Humberto Coelho, Luís Figo e Ricardo Pereira e ainda o apresentador de televisão Júlio Magalhães, todos eles apaixonados do golfe», observa a mesma fonte.

Miguel Franco de Sousa, presidente da FPG, para explicar o «down grade» do torneio, afirmou que no «ano passado tivemos o apoio do European Tour para a realização de um torneio ‘dual ranking’ em cerca de 300 mil euros, este ano não, pelo que tentámos reunir apoios no sector privado e público». Esta declaração no seguimento da união entre a FPG (detentora da marca Open de Portugal), a PGA de Portugal e a NAU no ano passado «para trazer de volta, depois de sete anos de ausência, o Open de Portugal, numa prova de categoria dual ranking, ou seja, pontuável em simultâneo para o European Tour e para o Challenge Tour, e dotada com €500.000 de prize-money», explica o comunicado.

O presidente da FPG acrescentou ainda que «não foi possível, com muita pena nossa, porque um evento ‘dual ranking’ servia melhor os interesses do país, sobretudo ao nível da promoção turística, mas do ponto de vista desportivo um torneio do Challenge Tour é tão importante como um torneio ‘dual ranking’ e mais importante do que um torneio do European Tour».

José Correia, presidente da PGA de Portugal, sublinha que «apesar de o torneio ter deixado de ser dual ranking não vai afetar o número de convites que os jogadores profissionais portugueses receberão para torneios do Challenge Tour, por troca com promotores de torneios noutros países», segundo a BA&N. O presidente afirmou que estão «confirmadas 30 entradas repartidas por 18 torneios ao longo do ano, que irão permitir ao nossos melhores profissionais competirem a nível internacional, amadurecendo a sua experiência e eventualmente conseguindo o acesso ao Challenge Tour para a época 2019 através destas participações».

Para Mário Azevedo Ferreira, CEO da NAU, o Open de Portugal @ Morgado Golf Resort, esta «é uma forma de pormos em evidência um dos nossos três campos no Algarve e através disso promover a nossa propriedade, o Morgado do Reguengo Resort, que é uma propriedade vasta, ainda numa fase inicial de desenvolvimento e para a qual temos projetos e objetivos muitos ambiciosos para os próximos tempos».

O Morgado Golf & Country Club, que vai receber este evento, está situado entre Portimão e Monchique, num vale, entre dois campos de golfe, com 18 buracos, um percurso com as características de um campo «links» – com fairways planos e bunkers de inspiração escocesa.

 

@Foto de destaque: Promotores do evento – Alain de Soultrait, Miguel Franco de Sousa, Mário Azevedo Ferreira e José Correia unidos em torno da taça do «Open de Portugal»

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *