Sabor e tradição numa rota que percorre o Algarve de lés-a-lés

A 9.ª edição da Rota do Petisco está de volta e promete sabores, saberes, tradição e partilha de experiências em 12 concelhos do Algarve. A partir de hoje, 24 de abril, e até ao dia 26 de maio, pode adquirir o seu passaporte e petiscar em mais de 300 restaurantes de uma ponta à outra da região.

Durante um mês, os 303 restaurantes aderentes, mais 26 que no ano passado, vão servir petiscos e doces para fazer as delícias daqueles que se aventurarem nesta iniciativa promovida pela Associação Teia d’Impulsos. Quanto a valores por refeição, os menus variam entre os 2€ e 3€ e incluem bebida.

O passaporte para este roteiro gastronómico tem um custo de 1,50€ e o valor reverte, na íntegra, para projetos sociais locais que serão, posteriormente, selecionados por um júri. Esta vertente da iniciativa é designada por «Rota Solidária» e aqueles que aderirem ao comprar o seu passaporte, quando tiverem 12 espaços carimbados habilitam-se «a um conjunto de prémios a sortear no final do evento», explica a organização em comunicado. A Rota do Petisco oferece ainda a opção vegetariana, cujo carimbo pode encontrar no seu passaporte.

«A rota engloba muito convívio e traz pessoas para as ruas», é desta forma de Maria Nobre de Carvalho, membro da Associação Teia d’Impulsos, caracteriza o evento que tem crescido de ano para ano, e os números assim o revelam. Ao longo das nove edições, o evento envolveu cerca de 1600 restaurantes, 1,6 milhões de rotas vendidas, 3,5 milhões de euros de impacto económico direto e 85 mil euros doados a instituições (valores divulgados pela organização na apresentação do evento).

 

«É uma boa altura do ano, as pessoas estão ansiosas por sair à rua»

«As expectativas são grandes, é o segundo ano que vamos fazer a rota a nível regional e é o ano em que vamos solidificar este evento», confessa Maria Nobre de Carvalho ao Jornal de Monchique.

«As pessoas já sabem que a rota é no Algarve inteiro e achamos que maio vai ser o mês ideal, até porque muita gente já nos anda a pedir para fazer a rota nesta altura». Maria Nobre de Carvalho reforça que «é uma boa altura do ano, as pessoas estão ansiosas por sair à rua, os próprios restaurantes estão frescos, as equipas estão preparadas para começar a trabalhar».

O evento, que começou a ser preparado «sensivelmente a partir de novembro», «não é complicado de organizar, mas é muito trabalhoso», explica Maria Nobre de Carvalho. «Num mundo ideal seria de pensar que nós [Teia d’Impulsos] só teríamos de enviar um email para os restaurantes, sem que a nossa equipa tenha que ir aos locais fisicamente para inscrever, tirar fotografias ou montar as coisas», mas não é bem assim que acontece, sendo que o tempo é escasso e «os passaportes precisam de um mês para serem preparados».

No entanto, a equipa está confiante «que esta vai ser a melhor rota, vai-nos dar trabalho e vai ser difícil tentar superar isto para a décima edição».

 

Monchique promove os seus sabores e tradições

A rota no concelho de Monchique faz-se nos seguintes estabelecimentos:

Hotel Villa Termal Caldas de Monchique – Azeitonas Marinadas e tomate cereja assados em forno de lenha;

O Castelo – Bochechas de porco com batata doce;

Refúgio – Prato cheio;

Segredos, Saberes e Sabores – Pãezinhos com chouriça e com torresmo da casa;

Casa Maio – Pica-pau de bifana com mosquito de melosa;

Petisqueira São Roque – Assadura;

Palmeirinha dos Chorões – Faceira com molho de tomate;

Pastelaria Ana Maria – Bolo de medronho;

Café da Vila – Wrap de Assadura;

Tradições – Tiborna de chouriço;

Pastelaria Doce Arte – Pudim de amêndoa.

A iniciativa é promovida pela Associação Teia d’Impulsos e vai decorrer nos concelhos de Albufeira, Aljezur, São Brás de Alportel, Faro, Lagos, Monchique, Portimão, Silves, Tavira, Vila do Bispo, Lagoa e Olhão.

Consulte aqui os restaurantes aderentes à Rota do Petisco.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *