RTA lamenta dispensa de avaliação ambiental à plataforma petrolífera em Aljezur

A Região de Turismo do Algarve (RTA) lamentou, em comunicado, a decisão da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) em dispensar a avaliação dos impactes que a perfuração petrolífera do Largo de Aljezur possa ter a nível ambiental.

Após as várias consultas públicas e a demonstração de desagrado por parte de mais de 42 mil pessoas e autarcas, a APA decidiu não avançar «com a Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) e o Governo não contrapõe esta escolha», ressalta a mesma fonte. «A operação, que tem início previsto para 15 de setembro, vai requerer a utilização de substâncias tóxicas e métodos que podem prejudicar gravemente a saúde humana e ambiental».

A RTA sublinha que «a decisão anunciada em conferência de imprensa coloca em risco a população do Algarve, acarreta um impacto negativo no turismo e os riscos sísmicos tornam-se mais notórios».

Desidério Silva afiança que «o Algarve, que é um território tão natural, com uma população tão acolhedora que recebe todos os meses milhares de turistas, não merece ser desconsiderado». Acrescenta ainda que «rejeitar uma avaliação de potenciais riscos de perfuração é negar a importância que a população tem para um país. É uma afronta o Governo compactuar e negar a existência de impactos negativos não só para o ambiente, mas também para os habitantes do território algarvio».

A RTA conclui afirmando que «esta decisão é totalmente errada e teme que esteja a ser posta em causa o seu ideal de destino natural que prima pela segurança, pela qualidade das suas infraestruturas e pela excelência da sua oferta».

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *