Projeto TerraSeixe apresenta resultados sobre o tema «Antes que arda outra vez»

Os resultados do projeto TerraSeixe – Gestão Ambiental Partilhada no Sudoeste de Portugal, «Antes que arda outra vez», vão ser apresentados no dia 22 de março, entre as 10 e as 17 horas, no Auditório da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento do Algarve (CCDR), em Faro. O projeto é liderado pela GEOTA.

Este evento pretende proporcionar um «debate participado entre especialistas, políticos e cidadãos sobre a temática da dinamização e ordenamento sustentáveis dos territórios num contexto de alterações climáticas, que conta com a participação do Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural», de acordo com a informação disponibilizada pela gestão do projeto.

Através do projeto foi desenvolvido um «estudo de base para a gestão ambiental partilhada do território da bacia hidrográfica da Ribeira de Seixe, que inclui os concelhos de Monchique, Aljezur e Odemira, numa abordagem intermunicipal e inter-regional», explica.

A área envolvida neste estudo corresponde a cerca de 25 mil hectares, dos quais 90% tem o estatuto de proteção. Quanto à ocupação do solo, esta corresponde a «44% de eucalipto e uma estrutura fundiária dividida em 3850 prédios rústicos».

Para a presidente da GEOTA, Marlene Marques, «este projeto pretende introduzir em Portugal uma metodologia colaborativa e participativa para a gestão do território». Deixou ainda o alerta: «face aos recentes incêndios e aos seus impactos catastróficos reiterados é preciso repensar o modelo de desenvolvimento que queremos antes que arda outra vez».

Miguel Jerónimo, coordenador do projeto, afirma que «inverter esta tendência implica repensar o modo de atuação das políticas públicas neste território e definir um novo modelo de gestão que permita promover a conectividade ecológica, aumentar a resiliência ao fogo e às alterações climáticas, estimulando uma economia agrícola, florestal e turística de proximidade».

O projeto é desenvolvido em parceria com a Câmara Municipal de Aljezur, Câmara Municipal de Monchique, a Câmara Municipal de Odemira, a Junta de Freguesia de Odeceixe, a Associação Vicentina, ICNF-DCN Algarve, a APA-ARH Algarve, a Universidade do Algarve (Centro de Estudos em Património, Paisagem e Construção), a Universidade de Évora (Polo de Évora do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos), Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (Grupo de Investigação Ambiente, Território e Sociedade) e a Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade da Nova de Lisboa.

Print

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *