Monchique apresenta cinco categorias ao concurso das 7 Maravilhas – Cultura Popular de Portugal

As 7 Maravilhas voltam a ser eleitas em 2020, desta vez, na categoria de «Cultura Popular de Portugal».

A Organização das 7 Maravilhas de Portugal recebeu 504 candidaturas que foram avaliadas pelo conselho científico, que acabou por atribuir o selo de nomeado a 471. Destas, serão apresentados 140 finalistas, 7 patrimónios por região, que participarão nas respetivas eliminatórias regionais, iniciando-se a 3.ª fase do concurso.

Os resultados desta fase, da responsabilidade de um painel de especialistas, composto por 7 elementos de cada um dos 18 distritos e 2 regiões autónomas, chega no dia 7 de junho, na RTP, televisão oficial do evento, com «1 mês de atraso, em virtude dos constrangimentos causados pela covid-19», explica a organização.

Nessa mesma data serão, igualmente, divulgadas as próximas etapas do concurso, que estão neste momento condicionadas à evolução da pandemia causada por covid-19.

A concurso estão 7 categorias: Artesanato, Lendas e Mitos, Festas e Feiras, Música e Danças, Rituais e Costumes, Procissões e Romarias e Artefatos.

O distrito de Faro concorre com 13 maravilhas, sendo o concelho de Monchique a apresentar mais candidatos, já que concorre a 5 categorias, apresentando a «Destila do medronho» à classe Ritos e costumes;  a história de «A Zorra Berradeira, à de Lendas e Mitos; os «Alforges» ao Artesanato; as «Cadeiras de Tesoura» aos Artefactos e a «Maria Latoa, a Músicas e Danças. O concelho de Loulé concorre a 3 categorias com a «Cataplana em cobre» no Artesanato; a «Festa da Espiga» nas Festas e Feiras e a «Festa da Mãe Soberana» a Procissões e Romarias. O concelho de Faro tem nomeadas as «Charolas de Bordeira», na categoria de Músicas e Danças e a «Festa da Pinha» na de Festas e Feiras, já o concelho de Lagos, que também apresenta 2 maravilhas, concorre a Festas e Feiras com a «Festa da Aldeia da Senhora do Forte» e a Lendas e Mitos com a «Lenda da Aldeia da Senhora do Forte». Por último, surge São Brás de Alportel com a  «Procissão da Aleluia – Festa das Tochas Floridas», que concorre na categoria de Procissões e Romarias.

«Acreditamos que Portugal e o Mundo vão ultrapassar esta crise e que no verão será altura de fazer o país ressurgir, de puxar para cima as nossas características únicas, as nossas inesgotáveis maravilhas, a nossa cultura popular baseada em vivências e saberes únicos, que têm feito de Portugal a nação que todos adoramos e que também os turistas estrangeiros se habituaram a desfrutar. A eleição das 7 Maravilhas da Cultura Popular® é, por isso, de uma grande oportunidade, e como profundos conhecedores e promotores de todos os patrimónios que constroem a nossa identidade nacional, fazemos votos para que existam condições para voltarmos ao contacto com o grande público, na defesa daquilo que é nosso, que nos diverte e que representa a nossa herança enquanto povo», explica Luis Segadães, presidente das 7 Maravilhas®.

A eleição das 7 Maravilhas decorre desde 2007  e tem permitido a «criação de roteiros turísticos que exploram o melhor que um país tem para oferecer, tanto para os turistas nacionais como para os internacionais. A primeira eleição consagrou o Património Histórico nacional, seguindo-se, em 2009, a eleição do Património de Origem Portuguesa no Mundo. A partir de 2010 foram eleitas as Maravilhas Naturais, a Gastronomia, as Praias, as Aldeias, as Mesas e os Doces.

7 Maravilhas eleitas em anos anteriores:

2007 – 7 Maravilhas de Portugal® (Património Histórico)
2009 – 7 Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo® (Património Histórico)
2010 – 7 Maravilhas Naturais de Portugal®
2011 – 7 Maravilhas da Gastronomia®
2012 – 7 Maravilhas – Praias de Portugal®
2017 – 7 Maravilhas de Portugal – Aldeias®
2018 – 7 Maravilhas à Mesa®
2019 – 7 Maravilhas Doces de Portugal®

Para ver os nomeados a nível nacional clique AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *