Monchique aderiu hoje à Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis

16 - rede_sitecmsMonchique aderiu hoje, dia 16 de fevereiro, à Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis (RPMS), durante a Assembleia Intermunicipal desta associação, que decorreu em Odemira.

Esta adesão teve como objetivo o «reconhecimento pelo trabalho desenvolvido em prol da sua população e um reforço na aposta estratégica na área social e do bem estar físico e mental e de promoção de estilos de vida saudáveis, em paralelo com questões ambientais que reforçam a qualidade de vida da sua população», explica nota da Câmara Municipal de Monchique (CMM).

Para Rui André, edil monchiquense, o município «assume também, desta forma, o grande desejo de com a integração nesta rede poder reforçar e ampliar o seu projeto de proximidade com a população e com os seus mais prementes desejos e problemas nestas matérias».

Admite ainda que «esta é a razão que nos tem motivado a colocar sempre as pessoas em primeiro lugar e no centro de todas as políticas que temos implementado para todas as franjas da população, de forma a promover a qualidade de vida no concelho».

«O trabalho em rede e em parceria com os outros municípios que integram esta associação é uma valiosa ferramenta de trabalho que procuraremos estimular e aproveitar, de forma a desenvolver políticas de promoção da saúde e do bem-estar da população de Monchique», conclui o autarca, que representou o município na assembleia.

A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis é uma associação que tem como missão apoiar a divulgação, implementação e desenvolvimento do projeto «Cidades Saudáveis» nos municípios que pretendam assumir a promoção da saúde como uma prioridade da agenda dos decisores políticos.

Constituída formalmente em 10 de outubro de 1997, esta Rede desenvolve a sua intervenção tendo por base o apoio e a promoção da definição de estratégias locais suscetíveis de favorecer a obtenção de ganhos em saúde, e a promoção da cooperação e comunicação entre os municípios da Rede e as restantes redes nacionais participantes no projeto Cidades Saudáveis da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *