Madrid

Findos estes dois dias em Cabo San Lucas, regressei a La Paz onde fiquei mais uma noite, para apanhar o avião que me trouxe de volta a San Jose, com escala na Cidade do México. Cheguei ao aeroporto de noite e foi por lá que fiquei para me ir despedir de San Jose na manhã seguinte, retomando ao aeroporto ao final dessa mesma manhã, para regressar à Europa.

Escalas feitas na Cidade do Panamá e em Frankfurt, eis-me novamente chegado ao aeroporto de Madrid, em busca do local onde havia pernoitado quando estava de partida para a Costa Rica.

Visto o bilhete de metro do aeroporto para o centro acrescer três euros, fui apanhar o metro na estação Alameda de Osuna, situada numa zona residencial nos arredores do aeroporto.

Por estes dias a temperatura é elevada na capital espanhola, o que não me demoveu de conhecer esta cidade que ainda não tinha tido a oportunidade de visitar, ao contrário do seu aeroporto que já cruzei várias vezes.

Depois de encontrar hostel no centro da cidade, parti à descoberta.

A primeira paragem foi na Puerta del Sol, enorme praça, repleta de animação, em especial ao cair da noite. Homens-estátua, músicos, acrobatas, comediantes vêm aqui mostrar o seu valor.
Praça símbolo da cidade é a magnífica Plaza Mayor construída há mais de quinhentos anos, palco de acontecimentos marcantes na história do nosso país vizinho.

Com mais umas praças percorridas, eis-me diante de majestoso Palácio Real cuja dimensão é impressionante.

No segundo dia em Madrid rumei à parte este da cidade, passando a maior parte do dia no Parque del Retiro. Este belo parque de médias dimensões atrai muita gente, conseguindo ser ao mesmo tempo acolhedor e proporcionar um bom passeio.

Junto a uma das entradas do parque fica a Plaza de la Cibeles, outra das praças madrilenas dignas de registo pela sua imponência, embora ofuscada pelo tráfego constante que atravessa estas artérias citadinas.

Regressei ao aeroporto ao final dessa mesma tarde e pela mesma rota, de forma a escapar à taxa suplementar de três euros. Por aqui dormi mais uma noite, sendo já a terceira neste aeroporto, durante esta viagem.

Ao invés de regressar a Lisboa de onde tinha partido, de Madrid segui para o Porto para as habituais visitas de verão à Póvoa de Varzim e a Fradelos.

Nesta estadia na Póvoa de Varzim tive direito a visita guiada a Vila do Conde e aos seus monumentos pelo competentíssimo Sílvio, amigo dos tempos da universidade, que já não via há algum tempo.

Mais uns dias passados por terras minhotas antes de regressar a casa, repetindo a viagem no autocarro da noite.

Foi apenas tempo de passar por casa e seguir nesse mesmo dia para Faro, pois no dia seguinte iria ter início o Festival F.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *