Açores 2016

Lagoa das Sete Cidades
Lagoa das Sete Cidades

Na melhor companhia, dias depois do Festival F, embarquei para mais uma viagem, na companhia dos compinchas do costume, André, Joana e Sandra.

Despedidos dos cozinhados da D. Judite, foi à boleia do Sr. Manuel que deixámos para trás o nosso concelho, para irmos apanhar o comboio na estação de Santa Clara- Sabóia com destino a Lisboa.

Mais uma aventura deste quarteto fantástico, desta feita por terras lusas, determinados a calcorrear a Ilha de São Miguel, nos Açores. Com o voo a sair bem cedo, a noite foi passada no aeroporto a tentar descansar o melhor possível.

Chegados a Ponta Delgada bem cedo, este primeiro dia revelou-se enorme. Depois de tratadas as formalidades com o carro de aluguer e instalados no centro de Ponta Delgada, rumámos até à Lagoa das Sete Cidades, onde se pode apreciar a beleza das Lagoas Azul e Verde. O regresso foi feito pela zona da Ferraria, outros dos pontos de visita principais da ilha.

Jantámos já na companhia do nosso guia turístico Jorge. Foi ainda tempo de reencontrar o Fernando, amigo de longa data, cujo trabalho como professor de Filosofia o trouxe até estas paragens, como anos antes o havia trazido até Monchique.

O dia seguinte levou-nos à Caldeira Velha e à Lagoa do Fogo, à qual descemos e por lá ficámos um pouco a descansar e a contemplar a beleza de mais esta deslumbrante lagoa. Antes de regressar, visitámos ainda Vila Franca do Campo.

Esta noite de sexta-feira trouxe-nos a um pequeno festival de música a decorrer nos Jardins António Borges. Aqui assistimos ao concerto de um dos nossos melhores guitarristas e um dos mais carismáticos, ainda que pouco mediático, Filipe Mendes, conhecido no mundo artístico como Phil Mendrix. Vimos ainda mais um concerto de Benjamim, já que dias antes os tínhamos visto no Festival F em Faro.

Com o nosso prestável guia a nos emprestar óculos e barbatanas, este terceiro dia por terras açorianas foi passado no Ilhéu de Vila Franca do Campo. Um local magnífico para desfrutar de um dia tranquilo. Ao final da tarde, marcámos encontro com o Jorge, a sua esposa Carla e os seus miúdos numa quinta de ananases, antes de irmos jantar na localidade de Capelas e comer uma soberba sopa de ossos.

Na manhã seguinte percorremos mais uma série de quilómetros até à Lagoa das Furnas, onde se confeciona o tradicional cozido desta região em buracos feitos na terra vulcânica quente. Só depois de desfrutar das águas quentes da Poça da Dona Beija provámos o típico cozido. Cruzámos a ilha visitando a Salto do Cavalo para desembocar no Nordeste percorrendo a estrada junto à costa, sem deixar de parar nos muitos miradouros que ía-mos encontrando. Chegados ao Miradouro da Ponta da Madrugada tivemos de voltar para trás, já que a estrada estava em obras. Tivemos ainda tempo de visitar a Fábrica do Chá Gorreana.

O último dia nos Açores passámo-lo em Ponta Delgada, na companhia do nosso incansável guia, visitando a cidade e os seus pontos de maior interesse.
Foram uns dias bem passados nesta ilha de inigualável beleza e que nos deslumbrou em todos os sentidos. Fica o desejo de conhecer as outras ilhas deste admirável arquipélago.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *