Luz, som, poesia e regresso do «Lavrar o Mar» marcam cultura em novembro no Algarve

Em novembro, o programa «365 Algarve» intensifica o calendário cultural da região com várias novidades: o Festival LUZA que irá invadir Loulé com um jogo de luzes e sons; o VIDEO LUCEM que une a arte do cinema à música ao vivo e ainda uma grande diversidade de espetáculos musicais, gastronómicos e de teatro.

De 24 a 26 de novembro, a região recebe o Festival Internacional de Luz do Algarve – LUZA, um projeto artístico que contará com dezenas de artistas nacionais e internacionais que irão transformar Loulé numa cidade de luz. Durante três dias, estão previstas várias sessões de video mapping, conferências e exposições para iluminar as noites algarvias. Em novembro inicia-se o Video Lucem, com uma sessão mensal até maio, uma experiência única para o espetador que assiste a uma sessão de cinema, com música ao vivo, num local algo inusitado: uma igreja algarvia. A primeira sessão está marcada para o dia 9 de novembro, na igreja de São Francisco, em Faro, onde será possível assistir ao filme «A woman in Paris», o mais atípico filme de Chaplin, ao som do jazz da cantora Maria João e de Zé Eduardo & João Farinha.

O Festival AlGharb.Come, que valoriza e envolve três patrimónios imateriais da humanidade – o fado, o flamenco e a dieta mediterrânica –, organiza quatro showcookings gastronómicos, acompanhados de tempero musical, em mercados municipais do sotavento algarvio, no dias 4, 11, 18 e 25 de novembro.

Como no Algarve as tradições gastronómicas são seculares, pode participar no Pasta e Basta um Mambo italiano – versão algarvia, na sede do Rancho Folclórico do Rogil, em Aljezur, de 16 a 18 de novembro. Trata-se de uma iniciativa do projeto «Lavrar o Mar» que consiste num laboratório culinário que aborda a ligação dos alimentos com o dia a dia e a cultura da região, onde o público põe literalmente as mãos na massa, para no final provar a sua obra culinária.

Aljezur e Monchique recebem Conciorto, entre 22 e 25 de novembro. Os músicos Biagio Biagini e Luigi Carlone transformam o palco numa horta onde courgettes, beringelas e cenouras dão vida a um concerto que mistura vários géneros musicais. Esta também é uma iniciativa integrada na 2.ª edição do «Lavrar o mar» .

Em Faro, prestar-se-á tributo a um importante ativo cultural do Algarve, o acordeão. Assim, na Grande Gala Acordeão, que decorre a a 18 de novembro, dezenas de compositores irão homenagear Hermenegildo Guerreiro, um dos artistas que mais tem contribuído para o ensino da arte de tocar acordeão.

O espetáculo Por sons nunca dantes navegados, que se realiza dia 11 de novembro, em Lagos, vai explorar os timbres e sonoridades de vários instrumentos do mundo, enquanto que A Voz do Mundo homenageia as diversas culturas através do canto, despertando os sentidos e a mente do público para o folclore português, europeu, mas também dos pigmeus de África e dos ritmos da América do Sul (2 e 4 de novembro, na Biblioteca Dr. Júlio Dantas). Para os mais novos, o «365 Algarve» sugere o espetáculo A volta ao mundo a escutar, uma sessão de música para bebés que explora o som através de diversas linguagens musicais, no dia 1 de novembro, em Lagos.
A Biblioteca Municipal de Lagos recebe ainda no mesmo dia o workshop Histórias do nariz, onde os participantes são desafiados a transformar recordações olfativas em histórias escritas.

A Galeria Lar, em Lagos, recebe até 11 de novembro, a exposição De uma natureza híbrida de Sara Feio, artista plástica cujas ilustrações se inspiram no imaginário científico e fantástico, através de técnicas únicas como o stippling.

Os espetáculos de animação de património continuam com grande destaque este outono com Faro desvendado, uma viagem às origens e à diversidade cultural da cidade e de toda a região. Como início na Sé e passando por vários pontos de interesse histórico, um ator guia os participantes por uma viagem pela história, pontuada pela atuação de diversas personagens, e que se finaliza com uma prova de vinhos regionais a 23 de novembro. Em Lagos, será possível fazer uma viagem pela identidade portuguesa através dos contos e de um percurso que leva os visitantes pelos principais monumentos da cidade, pontuado por momentos musicais, teatrais e de exploração sensorial, a 11 de novembro.

As comemorações do aniversário de Álvaro de Campos continuam ao longo do mês de novembro, em Tavira. Será possível visitar a exposição de pintura Sonhos Incompletos, de Kinga Subicka, no restaurante Gilão; a Exposição de Pintura de Fonseca Martins, que teve a oportunidade de conhecer alguns membros da família tavirense de Fernando Pessoa, na Tavira D’Artes; a Exposição Pessoa(s) de Tavira, no Clube de Tavira, que apresenta ao público um conjunto de documentos encontrados num cofre de um descendente da família de Fernando Pessoa; e a Exposição fotográfica d´A|NAFA onde fotografias ilustram excertos de poemas de Álvaro de Campos. Será ainda possível assistir à Exposição Do meu Álvaro de Campos, que reúne trabalhos desenvolvidos em classes por professores de português e artes e uma oficina de gravura ministrada pela Oficina Bartolomeu dos Santos, patente na Casa das Artes em Tavira; e ao recital de poesia por alunos de escolas de Tavira (3 e 13 de novembro). Todas estas iniciativas são de entrada livre. Esta efeméride propõe ainda outras experiências únicas, como As Noites de Vinhos e Poesia, em que, ao som de poemas de Álvaro de Campos, declamados em português e inglês, será servido um jantar vínico. Estes jantares decorrerão no Restaurante Álvaro de Campos, nos dias 4, 11, 18, 25 de novembro. Pode ainda assistir a “Poemas cantados por Ana Pi”, a cantora e o músico Stelmo Barbosa e os seus convidados interpretam versos dos grandes poetas portugueses, a 10, 11, 12 novembro no Clube de Tavira. Os versos de Álvaro de Campos podem ainda ser vivenciados de várias formas, e a prova disso são a Oficina de dança Desdobrável pela Corpodehoje que interpretada frases do poeta pela dança (4 e 5 de novembro, na Fundação Irene Rolo) e o espetáculo Fernando Pessoa – O Fado e a Alma Portuguesa onde são interpretados fados tradicionais adaptados a poemas de Fernando Pessoa (de 24 a 26 de novembro). Por sua vez, a Casa Álvaro de Campos recebe a 24 de novembro A Voz da Sereia, um encontro filosófico dirigido por Maria João Neves; e a Academia de Música de Tavira tem encontro marcado com a música contemporânea e o modernismo da poesia de Fernando Pessoa, no recital Lopes Graça e Pessoa marcado para os dias 17, 18 e 19 de novembro.

A programação completa para o mês de novembro pode ser consultada na aqui.

 

Foto de destaque: Conciorto, «Lavrar o Mar»

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *