Fado, História, Guitarra e Património em janeiro no «365 Algarve»

O programa «365 Algarve», que visa promover a competitividade do destino turístico ao longo do ano, será reforçada no mês de Janeiro, em toda a região algarvia.

A programação de janeiro será reforçada com 19 eventos, que incluem 178 apresentações, oito dos quais serão novas apresentações de música, artes visuais, animação de património e gastronomia.

O início do novo ano junta a música à gastronomia e ao vinho numa novidade: «Jazz nas Adegas» que vai proporcionar ao espetador a possibilidade de conhecer melhor a história do vinho de Silves, assim como as suas adegas, e usufruir dos ritmos quentes do jazz. O encontro acontece na Quinta João Clara, em Alcantarilha no dia 14, e na Quinta da Vinha, em Silves no dia 21, sempre às 21h00. Já os habituais encontros «Fado & Wine» do Ginásio Clube de Faro acontecem nos dias 11, 18 e 25.

As primeiras novidades serão musicais: «Fado com História» acontece todas as semanas do mês de segunda a sexta-feira na sede da associação homónima, em Tavira, onde a guitarra portuguesa, a viola e a voz se juntam para cantar o fado.

Já o ciclo «Guitarras e Património» propõe uma viagem pelo dedilhar de cordas que contam histórias sobre a cultura e a música da região algarvia, em Alcoutim no dia 6, Portimão no dia 7, Loulé no dia 28 e em Monchique no dia 29.

Os «Concertos ao Entardecer» apresentam em janeiro o músico e embaixador da cultura guineense em Portugal, Kimi Djabate, dia 06, no Hostel 1878, em Faro. Por sua vez, o espetáculo «Cantata Mundi», vai decorrer no dia 28, em Vila do Bispo e apresenta-se como um colorido de sons e sentimentos que junta em palco mais de 60 intérpretes e que conta com a voz do barítono Rui Baeta.

Já o trompetistas nacional, Hugo Alves, e um mago do acordeão, João Frade, exploram juntos a tradição à luz da modernidade no espetáculo «Morphosis», um projeto de criação artística algarvia, que vai ter lugar no Auditório Municipal de Vila do Bispo, dia 14.

A Banda da Força Aérea Portuguesa marca o início do ano em Portimão, no dia 07, com um repertório festivo e celebratório.

De volta ao cartaz do «365 Algarve» estão os excertos de uma das mais emblemáticas óperas europeias, em versão concerto pela Academia de Música de Lagos, «O Universo de Henry Purcell», que será apresentado no Museu de Portimão, no dia 14, na igreja de São Lourenço, em Almancil, no dia 20 e na igreja de Odiáxere, em Lagos no dia 21.

O conhecido bailado «Quebra-Nozes» também regressa em janeiro, no Teatro Municipal de Portimão, a 21 de janeiro.

O ciclo de filme apresentado nas igrejas do Algarve, «Vídeo Lucem», leva a Sétima Arte à Sé de Silves «Visão, A Vida de Hildegard Von Bingen» no dia 6. À igreja matriz de Aljezur chega «O Sabor da Cereja», no dia 19 e à igreja matriz de Vila do Bispo «O Lamento da Vereda», no dia 20.

As artes visuais apresentam um novo evento: «D de Desenho», exposição para visitar de 28 de janeiro a 1 de abril no Centro Cultural de Lagos, onde o Graffiti, o carvão, lápis de cor, acrílico, a tinta-da-china ou o óleo mostram o universo vegetal e animal trabalhado por Jorge Leal.

Na outra ponta do Algarve, em Castro Marim, de 05 a 31 de janeiro a exposição «Documentar o Algarve Interior» continua a transportar os seus visitantes para algumas das atividades humanas quase em extinção, bem como aos lugares e seus protagonistas através de registos fotográficos e fílmicos.

Outro evento em destaque no cartaz de janeiro vem para animar o património algarvio: «ALQUIMIA – Itinerâncias Culturais», uma proposta de turismo cultural que oferece experiências que enriquecem e intensificam a vivência do lugar, articulando atividades ligadas à arte, à gastronomia e a uma descoberta contextualizada do território. Os quatro elementos (Terra, Água, Ar, Fogo) servem de mote a outros tantos programas distintos, a apresentar mensalmente, com início em Tavira, de 21 a 23 de janeiro.

«Momentos Fantásticos com o Património», dia 28, em Silves, convida os visitantes a viajar no tempo através de uma performance teatral.

«Linguajar» em Aljezur de 16 a 29 de janeiro, e que convida a redescobrir o património cultural oral da região cantado à capela e em registo polifónico.

«Faro Desvendado» leva os visitantes da capital algarvia a recuar no tempo e a conhecer uma cidade marcada por vestígios fenícios, romanos, visigodos, árabes e cristãos, em viagens encenadas que decorrem nos dias 6 e 27 de janeiro

Integrados no projeto LAVRAR o MAR, As Artes no Alto da Serra e na Costa Vicentina, «O Homem e o Fruto», estreia-se em Monchique, de 15 de janeiro a 24 de março, e o espetáculo «Rastilhos, Caminhos de Água, Bazares e pés sem terra», em Aljezur, de 15 de janeiro a 14 de abril.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *