Diário da Agricultura e Pescas – 28 de outubro de 2019

Governo aprova regime especial e transitório no Aproveitamento Hidroagrícola do Mira

Fonte: Agricultura e mar atual

O Conselho de Ministros aprovou no dia 18 de outubro uma resolução que estabelece um regime especial e transitório aplicável ao Aproveitamento Hidroagrícola do Mira permitindo a instalação de alojamentos que garantem melhores condições de vida e habitabilidade aos trabalhadores e promovendo, no médio-prazo, o planeamento de soluções mais estruturadas de alojamento.

Segundo o comunicado do Conselho de Ministros, a resolução concilia ainda o exercício da agricultura com a preservação e a defesa de valores ambientais abrangidos no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV), limitando a área total de agricultura coberta, e protege as áreas com valor de conservação da natureza particularmente sensíveis.

O Perímetro de Rega do Mira possui uma área equipada de 15.200 ha, com uma área beneficiada de 12.000 ha. A origem da água para rega, abastecimento urbano, industrial e piscicultura, é proveniente da albufeira criada criada pela Barragem de Sta. Clara, localizada no Rio Mira a Este do Perímetro de Rega.

 

Criadores de gado europeus pedem que não se culpe a carne pelas causas das mudanças climáticas

Fonte: The Guardian.com

Uma União Europeia sem pecuária assistiria a uma diminuição da biodiversidade e provocaria um êxodo rural, é um dos temas de uma campanha apoiada por organizações representativas dos agricultores da UE, da indústria pecuária, dos produtores de «foie gras» e pela indústria de peles e couro. E segundo estas organizações a carne e pecuária são responsabilizados de forma errada pela crise climática, pois não são considerados os seus benefícios para a sociedade.

Os europeus comem mais que o dobro da carne recomendada por especialistas. Um relatório do ano passado pediu uma redução de 40 a 50% no tamanho do setor pecuário da Europa para reduzir sua pegada ambiental.

Um artigo publicado na revista «Nature» concluiu que o consumo de carne bovina nos países ocidentais deveria diminuir cerca de 90% para evitar mudanças climáticas perigosas. Acredita-se que o setor pecuário seja responsável por um mínimo de 14,5% das emissões globais de carbono.

Por sua vez, o grupo de organizações diz que o atual debate sobre a carne a pecuária tem sido apenas unilateral e que a contribuição da pecuária para a biodiversidade, a bioenergia e a economia rural foi colocada de parte. “Uma UE sem pecuária perderia não apenas alimentos produzidos localmente, mas também os habitats essenciais e a biodiversidade. Tais perdas também significariam um aumento dos incêndios, a falta de fertilizantes naturais, de energia verde e um êxodo rural”. Com a nova campanha é defendido que o setor pecuário responde apenas por menos de 6% das emissões totais da EU pelo que não de deve culpar a carne pela crise climática, defendem os criadores de gado europeus
Negociações para o quadro financeiro da nova política agrícola comum da União Europeia trazem boas notícias para a agricultura portuguesa

O ministro da Agricultura ainda em funções falou de «boas notícias para a agricultura portuguesa» quanto à negociação do Quadro Financeiro Plurianual da União Europeia (QCA) para 2021-2017, notando a intenção da presidência finlandesa do Conselho de aumentar a dotação para a PAC. Tanto mais porque está em cima da mesa um documento, primeiramente encabeçado por Portugal, Espanha e França que pressiona a Comissão Europeia no sentido de reforçar sobretudo o segundo pilar (desenvolvimento rural e apoio ao investimento).

O diretor geral de planeamento de Portugal refere, contudo, que “pode haver uma pressão para baixar o orçamento” uma vez que os contribuintes líquidos defendem 1% do PIB enquanto que po PE defende 1,3%. Por sua vez a Comissão Europeia propõe que uma parte significativa do orçamento da UE continue a ser afetada à agricultura e que se concentre nas atividades principais, com o Fundo Europeu Agrícola de Garantia a ser dotado com 286 mil milhões de euros e o Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural com setenta e oito mil milhões de euros

 

*Artigo publicado em parceria com a Rádio Foia. O programa «Diário da Agricultura e Pescas» está no ar de segunda a sexta-feira às 7h00 e às 21h00