Diário da Agricultura e Pescas – 26 de novembro de 2019

 

Governo quer restringir furos no Alentejo e no Algarve

Fonte: Rádio Renascença

O ministro do Ambiente vai propor restrições à possibilidade de fazer furos para captação de água em zonas do Alentejo e do Algarve, devido à seca. A limitação abrangerá oito bacias no Algarve e duas na bacia do Guadiana, portanto, no Alentejo interior.

Relativamente à bacia do Sado, o ministro do Ambiente sublinha que tem estado a ser feita uma programação desde há dois anos. Este ano, a área que pôde ser regada não foi 100% da área de arrozais, foram 80%.

Já na zona acima do Rio Tejo o ministro do ambiente diz não haver qualquer problema de seca, mas a sul do Tejo tem chovido muito pouco pelo que caso haja necessidade, será feita a ligação de uma albufeira que normalmente não é usada para o consumo de água, que é a albufeira do Funcho.

 

DRAP Algarve recebe II Sessão Pública da Estratégia Nacional para Agricultura Biológica

Fonte: Agricultura e Mar Atual

A Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve vai receber a II Sessão Pública da Estratégia Nacional para Agricultura Biológica, no dia 29 de novembro de 2019, nas suas instalações, no Patacão, Faro, a partir das 9h15.« A organização é da Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural e da DRAP Algarve.

A sessão de informação é destinada ao público e comunicação social versando o ponto de situação da Estratégia Nacional para a Agricultura Biológica (ENAB) e da execução do respetivo Plano de Ação (PA) elaborado em colaboração com a DRAP Algarve. Conta com a presença do presidente da Agrobio, sendo apresentados casos de referência em agricultura biológica no Algarve: Quinta das Seis Marias, Quinta do Freixo e Quinta da Fornalha.

Economia do Mar deverá empregar 140 mil pessoas em 2020

Fonte: Jornal de Notícias

A economia do mar deverá empregar 140 mil pessoas em 2020, mais 42 mil postos de trabalho do que em 2017, segundo as últimas previsões do Instituto Nacional de Estatística. A economia do mar tem apresentado uma trajetória ascendente no que se refere ao número de trabalhadores, pelo menos, desde 2015, ano em que se registavam 80 mil pessoas a desenvolver atividades ligadas ao mar.

Segundo os últimos dados do sistema de contas integradas das empresas, o setor da economia do mar era responsável por 119 mil postos em 2018, 130 mil em 2019, prevendo-se 140 mil postos de trabalho em 2020.

Em Portugal, a contribuição do mar para o PIB corresponde a cerca de 5%, com o setor marítimo-portuário a representar “uma parte significativa” desse valor, segundo a Associação dos Agentes de Navegação de Portugal (Agepor). Os últimos dados disponíveis revelam ainda que desde 2016 e até ao primeiro trimestre de 2019, o programa Portugal 2020 foi o principal financiador do investimento na economia do mar com 736 milhões de euros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *