Diário da Agricultura e Pescas – 14 de novembro de 2019

DRAP Algarve vai realizar um encontro sobre fatores de produção biológicas

A DGAV – Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, com a colaboração da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAP Algarve), vai organizar o Workshop “Fatores de Produção para o Modo de Produção Biológico/Produtos Fitofarmacêuticos, Sementes e Plantas, Fertilizantes”, no próximo dia 29 de novembro, no auditório da DRAP Algarve, no Patacão. O encontro terá início às 14h30.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas online, aqui, até ao próximo dia 25 de novembro.
Matadouro português fecha venda de 100 contentores de carne de porco para a China devido à peste suína

Fonte: Observador

O matadouro português Maporal fechou, esta terça-feira, a venda de 100 contentores de carne de porco para a China, à medida que o país asiático enfrenta severos surtos de peste suína, que dizimaram milhões de animais. Importador chinês prevê comprar mais 400 a 500 contentores com carne de porco a matadouro português até ao final de 2020, devido à peste suína.

A Federação Portuguesa das Associações de Suinicultores prevê que as exportações de carne suína nacional para a China atinjam os cem milhões de euros, este ano, e 200 milhões, em 2020.
A carne de porco é parte essencial da cozinha chinesa, compondo 60% do total do consumo de proteína animal no país. Segundo dados oficiais, os consumidores chineses comem 55 milhões de toneladas de carne de porco por ano. As autoridades chinesas autorizaram, desde o final do ano passado, os matadouros portugueses Maporal, ICM Pork e Montalva a exportar para o país.

 

Comissão Europeia notifica Equador sobre necessidade de reforçar luta contra a pesca ilegal

Fonte: Agricultura e Mar Atual 

A Comissão Europeia prossegue a sua ação de luta contra a pesca ilegal a nível mundial, tendo agora notificado a República do Equador da necessidade de reforçar as suas medidas de luta contra a pesca ilegal, não declarada e não regulamentada. O comissário responsável pelo Ambiente, Assuntos Marítimos e Pescas declarou que “o Equador é um dos nossos principais parceiros comerciais em termos de produtos da pesca. Temos uma enorme responsabilidade, perante os consumidores da UE, no sentido de garantir que as importações provenientes desse país provenham apenas de atividades de pesca legais.

A Comissão Europeia detetou deficiências que entravam a capacidade do Equador para fornecer a garantia de que a sua pesca não é feita de forma ilegal”. Na medida em que a luta contra a pesca ilegal tem constituído uma componente integral da ação da UE para melhorar a governação dos oceanos ao longo dos últimos dez anos e continuará a ocupar um lugar de destaque na agenda política da próxima Comissão”. Todos os anos são capturadas ilegalmente entre 11 e 26 milhões de toneladas de pescado, ou seja, pelo menos 15 % das capturas mundiais. está estimado em 10 a 20 mil milhões de euros por ano.

 

*Artigo publicado em parceria com a Rádio Foia. O programa «Diário da Agricultura e Pescas» está no ar de segunda a sexta-feira às 7h00 e às 21h00

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *