Diário da Agricultura e Pescas – 11 de outubro de 2019

Apoios aos Jovens Agricultores já têm candidaturas abertas até 8 de novembro

O Estatuto de Jovem Agricultor abrange jovens com idades entre os 18 e os 40 anos, que tenham a agricultura como actividade profissional. Para estes jovens que pretendam instalar-se o Ministério da Agricultura disponibiliza um montante total de 35 milhões de euros através do Programa de Desenvolvimento Rural PDR 2020. As candidaturas deverão ser apresentadas até ao próximo dia 8 de Novembro.

O apoio ao Estatuto de Jovem Agricultor abrange todo o território nacional do continente, sendo elegíveis investimentos nas explorações cujo valor total seja superior a 25 mil euros. Os apoios são concedidos a fundo perdido até 700.000 euros por beneficiário e sob a forma de subvenção reembolsável entre este valor e um limite máximo de cinco milhões de euros.
Outro dos apoios ao estatuto de jovem agricultor com 15 milhões de euros destina-se a financiar o prémio à instalação.

Mais de 130 autarquias candidatas a apoios para destruir ninhos de vespa asiática

Governo disponibilizou um milhão e 400 mil euros para ajudar câmaras municipais tendo recebido já 137 câmaras apresentado candidaturas ao fundo de apoio que o Governo criou no início do ano para combater a vespa asiática através da destruição de ninhos, a ser usado pelas autarquias. O valor do apoio financeiro a atribuir por candidatura é de 10 mil euros.

“Desde a deteção da vespa asiática em Portugal em 2011, a progressão desta espécie exótica invasora tem-se registado de Norte para Sul e do litoral para o interior. A Sul, estende-se até às margens do rio Tejo, tendo sido confirmadas ocorrências, já este ano, na zona Norte do distrito de Portalegre”.

O MA informa ainda que foi divulgado no Portal do SNS e também nas redes sociais da DGS um texto acompanhado de um vídeo que explica o comportamento da vespa asiática, assim como as suas características, e a forma de actuação perante a presença do insecto. Em caso de detecção pode ligar-se o número SOS Ambiente e Território 808 200 520.

 

Interior algarvio recebe o festival da comida esquecida
O Festival da Comida Esquecida irá realizar-se a partir do dia 19 de outubro em São Marcos da Serra e terminará a 30 de Maio de 2020 na aldeia de Querença. Faz parte da programação do 365Algarve, é promovido pela Cooperativa para os territórios de baixa densidade com sede em Querença.

Pretende promover a comida esquecida nos usos, por estar associada à pobreza e à ruralidade e pretende recriar alguns hábitos alimentares de meados do século XX, quando muitos algarvios se reuniam em piqueniques no campo.

O Festival da Comida Esquecida vai passar por nove concelhos algarvios, de Outubro a Maio: Aljezur, Vila do Bispo, Silves, Lagoa, Loulé, São Brás de Alportel, Tavira, Vila Real de Santo António e Alcoutim. Todos os locais escolhidos são no interior, à exceção de Cacela Velha, que é «na mesma um lugar rural».

Chícharos, pau roxo, amoras silvestres, catacuzes, alcagoitas, cherovias, milhos fervidos ou aferventados, sardinhas amarelas ou garrentas. Estes são apenas alguns exemplos das comidas esquecidas que agora vão ser trazidas de novo à mesa durante este festival da comida esquecida que começa a 19 de Outubro, na Azilheira, localidade da freguesia de S. Marcos da Serra. Segue-se a aldeia da Penina (interior de Loulé, a 28 de março do próximo ano), Santo Estêvão (tavira, 18 de Abril) e Cacela Velha (2 de maio).

 

Artigo publicado em parceria com a Rádio Foia. O programa «Diário da Agricultura e Pescas» está no ar de segunda a sexta-feira  às 7h00 e às 21h00

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *