Catorze estabelecimentos monchiquenses na Rota do Petisco

Em 2016, a Rota do Petisco chega mais cedo e com um novo esquema. A sexta edição do evento vai realizar-se em três etapas, de forma a envolver um maior número de freguesias e concelhos do Barlavento Algarvio. Assim, os estreantes concelhos de Lagos e Aljezur recebem a primeira fase do roteiro entre 1 e 29 de maio, seguindo-se Lagos, Silves e Monchique de 27 de maio a 29 de junho e Portimão que receberá a derradeira etapa entre 9 de setembro e 9 de outubro.

O sucesso alcançado pelas cinco edições anteriores e «a expansão geográfica que a Rota do Petisco tem vindo a registar, canalizando o interesse de outras localidades algarvias», é uma das razões que levou a Teia d’Impulsos (TDI) a organizar este roteiro gastronómico de uma forma mais faseada, acreditando ser possível «chegar mais longe e crescer de forma sustentada para outras zonas».

À semelhança do ano passado, também em 2016 a Rota do Petisco vai disponibilizar as modalidades «Petisco», composto por um prato e uma bebida, pelo preço unitário de 3€ e «Doce Regional», cuja ementa apresenta uma sobremesa e uma bebida, com um custo de 2€. Os passaportes que dão acesso à participação na rota podem ser adquiridos nos estabelecimentos aderentes e nos Postos de Informação da Rota, sendo que para cada uma das etapas existirá um documento específico com a identificação dos estabelecimentos organizados por zonas.

Outra das circunstâncias que já vem de edições passadas é a rota solidária, na qual, o valor do passaporte será distribuído por projetos sociais locais com atividades nas localidades participantes na iniciativa. A Rota do Petisco pretende «fomentar um espírito de festa e convívio junto dos participantes» e volta a promover um conjunto de ações paralelas ao evento, onde se destacam as rotas da Animação Cultural, Rota da Ilustração, Rota das Imagens e Rota dos Pequeninos. Todavia, a organização esclarece que este ano «poderão existir ofertas específicas de animação e de outros conteúdos no âmbito do projeto da Rota do Petisco». É o caso da Rota Noite Adentro, que convida os participantes «a terminar a noite em beleza» e a Rota do Mundo, onde vão estar incluídas, «nos percursos dos estabelecimentos selecionados, ementas tradicionais de outras paragens, com o intuito de fomentar a diversidade».

Mas esta não é a única novidade que a sexta edição da Rota do Petisco traz aos seus adeptos. Uma das apostas da organização consiste no lançamento de um passaporte virtual, que «funcionará como uma aplicação que possa ser adquirida pelo mesmo custo que o passaporte clássico, sendo o consumo dos petiscos validado mediante sistema de QR Code, podendo assim colecionar na mesma os carimbos».

A participar pela segunda vez na Rota do Petisco está o concelho de Monchique, que este ano apresenta-se com um total de 14 estabelecimentos, entre restaurantes e pastelarias. São eles o Recanto (Assadura à Monchique), Restaurante Maximino (Delícias à Maximino), Vila Termal das Caldas de Monchique (Ovos mexidos com chouriça), Tasca Familychique (Frango à passarinho), Restaurante O Castelo (Feijoada de Porco Preto), O Refúgio (Prato Cheio), Casa Maio (Bifana com oferta de melosa), Restaurante Palmeirinha dos Chorões (Milhos com Feijão), Pastelaria Ana Maria (Torta de amêndoa e gila), Café/Restaurante Bela Vista (Lombo de Porco Guarnecido), Snack Bar Restaurante O Zé (Bochecha estufada à Monchique), Restaurante O Parque (Tiras de choco frito), Pastelaria Doce e Arte (Pudim de Mel) e Restaurante Jardim das Oliveiras (Fregineco e batata doce assada).

A Rota do Petisco é um projeto de cariz cultural e recreativo e consiste num roteiro gastronómico que envolve diversos estabelecimentos de restauração organizados por zonas geográficas distintas. Surgiu em 2011, dinamizada pela Associação Teia D’Impulsos, em parceria com a Associação Alvorecer e com o apoio de várias entidades locais públicas e privadas, tendo por objetivo a «promoção da restauração e do comércio local, a divulgação da gastronomia tradicional portuguesa, a revitalização das localidades aderentes através de animação social e cultural e o enriquecimento da oferta turística da região fora da época alta».

De acordo com a entidade organizadora, «nos últimos cinco anos, a Rota do Petisco afirmou-se como uma referência no âmbito dos eventos gastronómicos no Algarve e revelou-se capaz de gerar um impacto económico muito significativo, visto que só em 2015, o valor total das ementas da rota vendidas aproximou-se dos 700 mil euros».

Para mais informações pode consultar a página oficial do evento em http://rotadopetisco.com/.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *