Candidaturas para «7 Maravilhas Doces de Portugal» decorrem até março

Eleitas as «7 Maravilhas à Mesa» em 2018, o projeto, cujos embaixadores são Catarina Furtado e José Carlos Malato, regressa este ano para eleger os sete doces de Portugal. O projeto foi apresentado ontem, dia 12 de fevereiro, na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa eas candidaturas decorrem até 7 de março.

A apresentação do projeto «7 Maravilhas Doces de Portugal» esteve a a cargo de Luis Segadães, presidente das 7 Maravilhas, que explicou que esta é uma forma de olhar «para a doçaria portuguesa com uma perspetiva inovadora. Por um lado a criação de novos doces, que exploram produtos endógenos e de época. Por outro lado valorizamos a formação e a especialização em novas profissões associadas à doçaria e pastelaria portuguesa, e que nos faz estar aqui hoje, numa Escola de Hotelaria».

«Claro que os doces que marcam a nossa infância, que são típicos por todo o país em épocas festivas, que são doces identitários de uma localidade ou região vão também fazer parte desta eleição. Um dos pilares das 7 Maravilhas tem sido, desde sempre, dar a conhecer as nossas tradições, contribuindo para a sua preservação. Por muito que o projeto se reinvente, a nossa missão mantém-se», acrescentou.

As categorias do concurso são as seguintes: Doces de Território, Bolo de Pastelaria, Doce de Colher e Doce à Fatia, Biscoitos e Bolos Secos, Doces Festivos, Doces de Fruta e Mel e Doces de Inovação. A grande aposta deste ano é na «inovação à base de produtos endógenos, incentivando ao empreendedorismo local», l~e-se no comunicado da organização. «A tradição, a importância económica, social e cultural dos doces são também critérios preponderantes».

As duas semi-finais vão decorrer nos dias 24 e 31 de agosto, sendo que os 28 pré-finalistas serão divididos por sorteio para os dois programas que serão transmitidos em direto da RTP1. Em cada semi-final serão apurados sete doces que tiverem mais votos.

José Fragoso, Diretor da RTP1 e RTP Internacional, explicou que «com este novo projeto, a RTP1 vai partir para mais uma saborosa viagem pelo nosso país. A televisão pública associou-se ao projeto das 7 Maravilhas desde a primeira hora, o que tem permitido revelar elementos diferenciados da nossa identidade nacional, sobretudo relacionados com o património histórico e cultural, a natureza ou a gastronomia».

«Desta vez, o foco está no vasto património ligado à doçaria portuguesa, uma área onde tradição rima com inovação. De norte a sul, Madeira e Açores incluídos, distrito a distrito, as nossas equipas vão procurar a origem e a história dos doces mais emblemáticos do país, sejam recriações de velhas receitas de outros tempos, trabalhados por mãos sábias ao longo de séculos; sejam novas propostas que juntam a criatividade dos milhares de profissionais de pastelaria à diversidade de produtos endógenos locais, dois fatores que garantem a riqueza e a diversidade da doçaria nacional», ressaltou.

A Gala Final decorre a 7 de setembro de 2019 e será transmitida pela RTP1, em horário nobre. Dos 14 finalistas apurados vão ser eleitos 7 doces pelos portugueses como 7 Maravilhas de Portugal.

As candidaturas são realizadas no site oficial das «7 Maravilhas Doces de Portugal».

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *