Apoio à floresta conta com 190 milhões de euros

Desde 24 de março que é possível apresentarem-se candidaturas aos apoios ao investimento florestal concedidos através do Programa de Desenvolvimento Rural. Os prazos e as medidas são os seguintes:

Até 30 de junho, numa primeira fase e até 30 de setembro, numa segunda fase:
Reflorestação de áreas ardidas, com vista a restabelecer o potencial florestal, através da reflorestação ou reabilitação de povoamentos, em áreas ardidas, entre 2003 e 2019 e com uma dotação de 35 milhões de euros.
Prevenção da floresta contra agentes bióticos, visando o controlo de invasoras lenhosas – e abióticos – instalação e manutenção de mosaicos de parcelas de gestão de combustível, com uma dotação de 15 milhões de euros.

Até 31 de julho:
Melhoria da resiliência e do valor ambiental, através da reabilitação dos povoamentos em más condições vegetativas, bem como a adaptação às alterações climáticas e mitigação dos seus efeitos e com uma dotação de 10 milhões de euros.

Até de 31 agosto:
Melhoria do valor económico das florestas, com vista à recuperação de povoamentos de Eucalyptus spp em sub-produção, através da rearborização com a mesma espécie, ou outra, por forma a obter povoamentos mais produtivos, com a condição de 25% da exploração ser reconvertida através da reflorestação com folhosas autóctones, com vista a tornar os povoamentos mais resilientes aos incêndios e com uma dotação de cinco milhões de euros.

Até 30 de junho, numa primeira fase e até 30 de outubro, numa segunda fase:
Florestação de terras agrícolas e não agrícolas, com o objetivo de promover a florestação de áreas com matos, melhorando os ecossistemas com espécies de crescimento lento e com uma dotação de 35 milhões de euros.
Para além dos anúncios agora lançados, o Fundo Ambiental também disponibiliza 45 milhões de euros para a manutenção e gestão florestal, nas seguintes áreas: florestação de terras não agrícolas, reflorestação de áreas ardidas entre 2003 e 2019, melhoria do valor económico com apoios às áreas de eucaliptais reconvertidas através da reflorestação com espécies folhosas autóctones.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *