A utilização consciente dos pesticidas: o cálculo correto das doses a aplicar

O destaque na comunicação social conferido à substância ativa mais utilizada nos herbicidas designada por glifosato é um alerta importante para que todos nós, sem exceção, estejamos atentos aos efeitos decorrentes da aplicação dos pesticidas para o meio ambiente e para a saúde humana e animal.

Refere-nos, a propósito, a Ordem dos Médicos que “Na última década, a aplicação de glifosato em Portugal aumentou cerca de 50%, com 1400 toneladas utilizadas só em 2010. O resultado é que já é detetado em análises de rotina aos alimentos, ao ar, à água da chuva e dos rios, à urina, ao sangue e até ao leite materno.”

Para a Organização Mundial de Saúde aquela substância faz parte das potencialmente cancerígenas, conforme investigação científica, estando ligada ao aumento da incidência de cancro, doença celíaca, infertilidade, malformações congénitas, doença renal e autismo. Mas para além desta muitas outras substância se encontram no mercado, cujos resultados são menos publicitados como seja o caso da deltametrina, um dos inseticidas da classe dos piretróides sintéticos mais largamente utilizados no combate a insetos e ácaros, inclusive na medicina veterinária, mas extremamente perigoso para as abelhas e para os organismos aquáticos e que, nos humanos, pode ser absorvido pelas vias respiratórias e através da pele, produzindo efeitos ao nível do sistema nervoso central.

Como calcular a dose de pesticida a aplicar?
Não se escolhendo vias alternativas de combate às pragas e uma vez que se opte por um pesticida, para além dos cuidados a ter com a escolha correta do produto a aplicar, da leitura da informação existente sobre o mesmo, tais como fichas técnicas e rótulos, a preocupação fundamental deve ser a de se causar o mínimo de danos ou prejuízos em toda a cadeia alimentar e animal calculando as doses corretas a aplicar em função das concentrações indicadas no rótulo, da área onde vamos aplicar e do volume de caldas ou preparados que vamos utilizar para o que será necessário fazer alguns cálculos muito simples que passamos a divulgar com exemplos práticos. Para que se saiba qual o volume a utilizar é necessário conhecermos, em primeiro lugar, o equipamento que estamos a utilizar pelo que, no caso concreto de um pulverizador de dorso (costas) poderá verificar-se qual o seu débito numa área mínima de 10 metros quadrados fazendo seguidamente a conversão para 10 000 metros (1 hectare).

Os exemplos dados são simples casos práticos pelo que o método de cálculo se aplica em qualquer outra situação.

Exercício 1
Pretendemos efetuar um tratamento com o herbicida Glyphogan, na junça (infestante) que se encontra na cultura da vinha.

Na altura da compra do herbicida, não esquecer de verificar se o herbicida está homologado para a cultura da vinha.

A vinha a tratar tem uma área de 500m2.

O rótulo do Glyphogan aconselha 8 a 10 litros de produto por hectare. Como temos muita junça, iremos utilizar a quantidade máxima: 10 litros por hectare.

A calibração do pulverizador de dorso resultou em 350 litros por hectare, ou seja, o pulverizador debita 350 litros de calda num hectare.

Objetivo: pretendemos saber qual a quantidade de água que vamos preparar para tratar aquela área de vinha, e qual a quantidade de produto Glyphogan que vamos precisar.

Nota: aplica-se a regra aritmética designada por “regra de três simples” ou das proporções em que conhecendo-se o consumo para uma determinada área vamos a partir daqui calcular o consumo para a área a tratar.

Cálculo da quantidade de água:

Se o pulverizador gasta
350 l 10 000 m2 X 500 m2
(o cálculo de X permite sabermos a água que vamos gastar na vinha que queremos tratar)

X = (350 x 500) : 10 000

Logo se conclui que X = 17,5 litros será a quantidade de água que vamos gastar para tratar aquela vinha, com aquele pulverizador.

Cálculo da quantidade de herbicida:
O rótulo diz que aplicamos
10 l herbicida 10 000 m2
X (Qt. de produto para a junça) 500 m2

X = (10 x 500): 10 000

Logo se conclui que X = 0,5 l = 500 ml será a quantidade de herbicida que vamos gastar para tratar a junça presente naquela vinha.

Em conclusão: para tratar a junça, presente na nossa vinha, com 500m2, com o herbicida Glyphogan, de acordo com as instruções do rótulo, e com a calibração do pulverizador de dorso, precisamos de 17,5 litros de água, ao qual juntamos 500ml (0,5 l) do herbicida.

Exercício 2
Queremos tratar 20 laranjeiras, contra a mosca da fruta (mosca do Mediterrâneo), espaçadas entre si de 3 metros na linha e 3 metros na entrelinha, com o produto Fitofarmacêutico Karate Zeon.

Na altura da compra do inseticida, não esquecer de verificar se está homologado para a cultura da laranjeira e para a mosca da fruta.

Cálculo da área de laranjeiras a tratar: 3m x 3m=9 m2 (área ocupada por uma só árvore), logo como são 20 : 20 x 9 m2 = 180 m2 de área ocupada.

O rótulo do Karate Zeon aconselha 12,5ml de produto por cada 100 litros de água, mas para pulverizadores que gastam 1000 litros por hectare.

A calibração do pulverizador de dorso resultou em 460 l/ha, ou seja, o pulverizador debita 460 litros de calda num hectare, então não podemos utilizar a concentração referida no rótulo, mas sim a dose.

Cálculo da dose: é sempre, a quantidade de produto que iremos gastar, se utilizarmos 1000 litros de água:

Se colocamos
12,5ml 100 l de água
Colocamos 125ml 1000 l de água

E agora, independentemente do que a nossa máquina deita por hectare, temos sempre que lhe colocar 125ml de Karate Zeon por hectare.

Objetivo: saber qual a quantidade de água que vamos preparar para tratar aquela área de laranjeiras, e qual a quantidade de produto Karate Zeon que colocamos nessa quantidade de água.

1. Cálculo da quantidade de água:
Se o pulverizador gasta
460 l 10 000 m2 X 180 m2
(o cálculo de X permite sabermos a água que vamos gastar nas laranjeiras que queremos tratar)

X = (460 x 1803): 10 000
Logo X = 8,3 litros será a quantidade de água que vamos gastar para tratar aquelas laranjeiras, com aquele pulverizador.

2.Cálculo da quantidade de inseticida:
A dose é de
125 ml 10 000 m2
X (Qt. de produto p/ as laranjeiras) 180 m2

X= (125 x 180): 10 000

Logo X= 2.25ml será a quantidade de inseticida Karate Zeon que vamos gastar para tratar a mosca presente nas laranjeiras.

Conclusões:
Para tratar as laranjeiras que ocupam 180m2, contra a mosca, com o inseticida Karate Zeon, de acordo com as instruções do rótulo, e com a calibração do pulverizador de dorso, precisamos de 8,3l de água, ao qual juntamos 2.25ml do inseticida.

Para medir quantidades tão pequenas de produto, devemos usar sempre uma seringa.

Se o nosso pulverizador, deitar 1000 litros por hectare, podemos usar a concentração indicada no rótulo e fazer a conta direta para a quantidade de água que pretendemos usar, mas SÓ SE O PULVERIZADOR DEITAR 1000 Litros POR HECTARE.
Portanto se não soubermos o débito da nossa máquina, NUNCA sabemos ao certo qual a quantidade de produto que devemos utilizar.r

Texto de Marta Neves*, adaptado por Américo Telo.
Gabinete Técnico de Apoio à Economia Rural/Cooperativa Agrícola de Monchique

*(Formadora em Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos)

P1240735
Ação de formação promovida pela Cooperativa Agrícola de Monchique

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *