A Pila

Foi tema na imprensa a acusação de uma jornalista norte-americana, Lily Lynch, dirigida ao antigo secretário de Estado dos Assuntos Europeus de Passos Coelho, Bruno Maçães, de lhe ter enviado uma fotografia da sua pila. Para já, como sabia ela que era a dele, se ela diz que nunca se encontrou com ele? Podia ser apenas uma ação de marketing, sabendo-se como os publicitários e os políticos são uns exagerados. Em contrapartida, não consta se antes, se depois, ela ter-lhe-ia enviado uma fotografia da sua gata com a legenda “my pussy”, que significa gatinha e em inglês calão corresponde ao nosso passarinha, rata, seja lá o animal que aquilo for. Vê-se como o nível anda por baixo. Deve faltar algum estímulo para o levantar, ou pelo menos, decência e bom senso.

O termo pila, de uso familiar, isto é, em recato, segundo os dicionários tem origem obscura. Pila também será uma forma conjugada do verbo pilar, que significa moer com pilão, não sendo este o aumentativo de pila, do Bruno nem de outro político qualquer. Entretanto, é chamada pilada a uma castanha ou a uma pessoa quando está descascada ou nua. Depilado, contudo, não quer dizer sem pila, capado, como é sabido. São as preciosidades da língua portuguesa…

Outra preciosidade ocorrida recentemente foi o desenho de uma enorme pila que um piloto da Armada americana deixou no céu do estado de Washington, com o ar comprimido do seu caça. A instituição militar pediu desculpas pelo ato e classificou-o de infantil. Faz lembrar os desenhos que as crianças e adolescentes da minha geração pintavam nas paredes e nos muros, e que uma ingénua amiga minha já só em adulta descobriu que não eram cogumelos.

Não foi revelada a intenção do piloto, não se sabendo se apenas queria homenagear o falo, símbolo da fecundidade da antiguidade, ou, ao deixá-la acima da superfície terrestre, se dirigiu a Trump pelo respeito que este demonstra pelas alterações climáticas e pela sustentabilidade do planeta, como quem, perante asneiras e contestações de automobilistas, espeta o dedo médio da mão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *