2.ª Etapa da Volta ao Algarve em bicicleta sobe ao alto da Foia

A Volta ao Algarve em bicicleta é um dos eventos desportivos realizados em Portugal com maior qualidade dos participantes. Consolidar esse estatuto é um dos objetivos da 45.ª edição, que irá realizar-se entre 20 e 24 de fevereiro de 2019 e que será mais uma oportunidade para mostrar ao mundo que o Algarve é uma das regiões da Europa com melhores condições para a prática de ciclismo.

A corrida terá cinco etapas e um total de 778,6 quilómetros com o seguinte figurino: duas etapas para sprinters, duas chegadas em alto e um contrarrelógio. A última etapa será a decisiva com a meta no alto do Malhão, em Loulé, «incentivando-se os participantes a assumirem uma postura ofensiva, através da ausência de bonificações, que obrigará a ganhar tempo com ataques de longe», de acordo com a informação disponibilizada no site oficial da prova.

«A Volta ao Algarve arranca com uma etapa para sprinters, 199,1 quilómetros, que ligam a Cidade Europeia do Desporto, Portimão, a Lagos. A segunda etapa será o primeiro teste à condição dos candidatos ao triunfo final, uma viagem de 187,4 quilómetros entre Almodôvar e o alto da Foia, em Monchique», lê-se no site.

O contrarrelógio individual de 20,3 quilómetros vai decorrer na cidade de Lagoa. A quarta etapa ruma ao Sotavento algarvio e liga Albufeira a Tavira num percurso de 198,3 quilómetros. A Volta ao Algarve termina com uma ligação de 173,5 quilómetros, entre Faro e o alto do Malhão, Loulé, «que se adivinha decisiva, tendo em conta a dificuldade da subida coincidente com a meta».

Equipas participantes

A Volta ao Algarve assume-se como a prova 2.HC em todo o mundo com mais equipas de primeira divisão internacional e atraiu 12 das 18 equipas WorldTour, entre as quais as três melhores do ranking mundial por equipas em 2018: Deceuninck-Quick Step (Bélgica), Team Sky (Reino Unido) e Bora-hansgrohe (Alemanha).

A 45.ª Volta ao Algarve contará com quatro equipas de categoria continental profissional, o segundo escalão mundial do ciclismo. Entre essas destacam-se as duas primeiras do ranking Europe Tour por equipas em 2018, Wanty-Groupe Gobert (Bélgica) e Cofidis, Solutions Crédits (França), às quais se juntam a Caja Rural-Seguros RGA (Espanha) e a W52-FC Porto (Portugal).

O pelotão completa-se com as oito equipas continentais portuguesas: Aviludo-Louletano, Efapel, LA Alumínios-LA Sport, Miranda-Mortágua, Rádio Popular-Boavista, Sporting-Tavira, UD Oliveirense-InOutBuild e Vito-Feirense-PNB.

Volta ao Algarve Feminina

A 45.ª Volta ao Algarve conta com um «Passeio de Bicicleta exclusivamente para mulheres» e vai ter lugar em Albufeira, às 9h30, do dia 23 de fevereiro, no mesmo local onde, horas depois, irá iniciar-se a quarta etapa da corrida profissional.

Esta iniciativa pretende ser «um estímulo para a prática desportiva pelas mulheres». «Pretende-se atrair ao ciclismo e à Volta ao Algarve o público feminino, juntando num pelotão de convívio praticantes de ciclismo feminino experientes com mulheres que estão a dar as primeiras pedaladas. Por isso, o percurso será acessível a pessoas de todas as condições físicas».

As inscrições são gratuitas e podem ser submetidas aqui.

Cobertura televisiva reforçada

A 45.ª Volta ao Algarve terá uma cobertura televisiva reforçada face a anos anteriores, com mais tempo de emissão e com a transmissão em canais e em momentos de maior audiência.

O direto televisivo que permite mostrar o Algarve a mais pessoas vai ser transmitido em 120 países tem a Eutosport como parceiro internacional, «garantindo a transmissão da prova nos seus canais, mas também a distribuição para mercados em que o Eurosport não está presente».

Este ano a prova vai ter transmissão televisiva em direto para 50 países, que será garantida também pela TVI 24, assim como o acompanhamento informativo no canal de notícias e nos serviços noticiosos da TVI.

Foto de destaque | Nelson Inácio©

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *